Coluna

Alfredo Bertini estreia como colunista no Caderno de Economia

O economista vai escrever todas as quartas e sextas sobre temas diversos e análises econômicas

Alfredo BertiniAlfredo Bertini - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A partir desta quarta-feira (5), a Folha de Pernambuco ganha um novo colunista para o caderno de economia. O economista Alfredo Bertini vai escrever todas as quartas e sextas sobre temas diversos e análises econômicas, como a renda mínima, questões do setor energético, abordagem econômica da cultura, esporte e turismo, além de cenários do pós-pandemia. 

“Quero sair da mesmice, trazer novas ideias. Vou abordar pontos centrais e tradicionais da economia, claro, mas quero ir desdobrando outros temas com um olhar econômico”, projeta. A pandemia do coronavírus vai ser um ponto importante nas colunas apresentadas por Alfredo. “Pretendo falar sobre os impactos e direcionamentos que alguns setores poderiam tomar diante das dificuldades, todos foram impactados fortemente pelo coronavírus”, avalia.

Graduado e mestre em economia pela UFPE, Alfredo já foi professor da instituição e doutorando em economia pela USP. Foi presidente do complexo de SUAPE em 1991, fundou o Cine PE em 1997 e foi Secretário de Turismo e Esportes da Prefeitura do Recife em 2004 e 2005, durante a gestão de João Paulo.

Entre o mestrado e o doutorado fez um curso de seis meses promovido pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), em Santiago do Chile. “Essa especialização foi focada em economia do trabalho e desemprego, também pretendo trazer esse olhar e viés para a coluna”, comenta. 


Alfredo também escreveu o livro “Economia da cultura”, lançado pela Editora Saraiva em 2008. “O livro foi fruto do trabalho que iniciei sobre a ideia da economia da cultura, pensando a cultura como um vetor econômico”, comenta. Ele diz que nunca se desligou totalmente da economia, mas teve um interesse em fazer essa conexão dos dois pontos, cultura e economia.

Recentemente, foi secretário do audiovisual no Ministério da Cultura durante o governo de Michel Temer, em 2016, e no ano seguinte foi secretário de infraestrutura. De volta ao Recife, em 2019, foi presidente da Fundaj (Fundação Joaquim Nabuco). Alfredo também fez parte do conselho consultivo do Fórum Nacional de Festivais Audiovisuais Brasileiros, conhecido como Fórum dos Festivais, onde chegou a ser presidente.

Atualmente, Alfredo tem se dedicado ao projeto do Festival Cine PE e oportunidades de consultoria e palestras na área da economia, gestão pública, cultura, turismo e esportes.

Veja também

Justiça suspende trabalho presencial de médicos do INSS
Peritos

Justiça suspende trabalho presencial de médicos do INSS

Nova CPMF contamina discussão, diz presidente da comissão da reforma tributária
CPMF

Nova CPMF contamina discussão, diz presidente da comissão da reforma tributária