Alto do Refúgio é foco de ação de empreendedorismo social

O IntegrAÇÂO, projeto de empreendedorismo social, inicia nesta quarta-feira as aulas de gestão para capacitar os moradores da comunidade

O educador de artes do Clube de mães, Ivan Tavares, tem boas expectativas com o programa O educador de artes do Clube de mães, Ivan Tavares, tem boas expectativas com o programa  - Foto: Lidiane Mota/Folha de Pernambuco

O bairro de Nova Descoberta, Zona Norte do Recife, abriu espaço para uma nova ação de empreendedorismo social com foco na comunidade do Alto do Refúgio. O projeto IntegrAÇÃO iniciou, nesta quarta-feira (16), as aulas que fazem parte desta iniciativa, junto com um grupo de apoiadores, como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Infa Cosméticos. Todas as atividades são abertas para o público e acontecem no Clube de Mães dos moradores do Alto do Refúgio.

Além das convencionais aulas de gestão e comportamento, ministradas pelo Sebrae e pelo Papo de Universitário, a iniciativa conta com a parceria da empresa Infa, que vai ensinar a parte técnica da produção de cosméticos para os participantes. Empresários de diversos setores fazem parte do projeto também e irão orientar os alunos individualmente, de forma periódica, tanto para aconselhar um negócio que já existe, quanto para começar um empreendimento do zero.

Leia também:
Návila Teixeira: 'Empreendedorismo social mistura sonhos com transformação do Brasil'


A empreendedora e idealizadora do IntegrAÇÃO, Fernanda Dubeux, explicou que a criação desse projeto surgiu da observação das demandas do mercado: “95% das demissões no país ocorrem por questões ligadas ao comportamento. No momento em que a taxa de ocupação do país cresce por conta do aumento do trabalho informal, fica evidente que o empreendedorismo por necessidade é a única opção de milhares de brasileiros, que necessitam urgente de conhecimento e aprimoramento”.

O educador de artes do Clube de mães, Ivan Tavares, contou que as expectativas para o início do projeto são altas: “Aqui na comunidade tem muitas mulheres que são responsáveis por toda renda familiar da casa. Trazer um projeto de capacitação profissional vai ajudar bastante para diminuir a sobrecarga dessas mulheres e aumentar a renda”.

Apoio
O Sebrae, o Papo de Universitário e a Associação de Jovens empresários são alguns dos apoiadores dessa iniciativa. O gerente do Laboratório de Estratégias Digitais de Negócios do Sebrae, Thiago Suruagy, conta que projetos de empreendedorismo social vêm sendo cada vez mais incentivados: “Acreditamos que todo negócio, hoje em dia, tem que contribuir para um bem social de alguma forma. Temos os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que trazem uma série de prioridades que todo negócio precisa para não esperar apenas das entidades públicas”, diz ele. Além disso, buscar soluções para os problemas pode abrir caminhos para quem quer empreender: “Nós acreditamos que o problema pode ser visto como uma oportunidade. Identificar essas oportunidades e conseguir tornar o negócio rentável a partir da solução desse problema é o grande desafio de todo empreendedor” afirma Thiago.

Veja também

Governo anuncia criação do programa Renda Cidadã
renda cidadã

Governo anuncia criação do programa Renda Cidadã

Campo Tupi chega a 2 bilhões de barris de óleo equivalente em julho
Petrobras

Campo Tupi chega a 2 bilhões de barris de óleo equivalente em julho