Economia

ANS confirma reajuste de 10% em planos de saúde individuais

Nova cobrança nos planos de saúde começa a valer de acordo com o mês de aniversário dos contratos, ou seja, o mês em que o serviço foi fechado

Carteirinhas de planos de saúde no BrasilCarteirinhas de planos de saúde no Brasil - Foto: Cristiana Dias/Folha de Pernambuco

O reajuste nos preços de planos de saúde individuais e familiares em até 10% será publicado nesta quinta (28) no Diário Oficial da União. A medida, que atinge contratos firmados a partir de janeiro de 1999 ou adaptados à lei 9.656/98, foi definida pela ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e vale de maio deste ano até abril de 2019.

A nova cobrança começa a valer de acordo com o mês de aniversário dos contratos, ou seja, o mês em que o serviço foi fechado. Atualmente, a agência regula cerca de 17% do total de 47,3 milhões de consumidores de planos de assistência médica no Brasil, o que significa pouco mais de 8 milhões de usuários.

Leia também:
ANS suspende comercialização de 31 planos de saúde


Segundo a ANS, o percentual autorizado é o máximo que pode ser aplicado. Dessa forma, as operadoras são livres para adotar índices menores ou manter as mensalidades sem reajuste. O aumento previsto está acima da projeção da inflação para 2018, que deve ficar abaixo de 4%.

Em nota, a Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge) disse que "os aumentos são necessários para manter o atendimento das obrigações em dia, assim como a sustentabilidade econômica do setor". A FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar) não se posicionou.

Veja também

Secretária de Energia dos EUA descarta importação de petróleo venezuelano
Economia

Secretária de Energia dos EUA descarta importação de petróleo venezuelano

Bolsonaro se reunirá con Elon Musk em São Paulo
Encontro

Bolsonaro se reunirá con Elon Musk em São Paulo