Após ameaça de bloqueio pela Justiça, Facebook exclui página que atacava político

Advogado de candidato à prefeitura de Joinville havia pedido a retirada do ar de uma página na rede social

As Viúvas As Viúvas  - Foto: Divulgação

Mais uma vez, um juiz brasileiro pede a suspensão de serviços de internet. Desta vez, um juiz eleitoral de Santa Catarina determinou, no dia 5 de outubro, a suspensão do Facebook por 24h. A rede social foi envolvida em mais uma polêmica por conta de uma página anônima que criticava o candidato do PMDB à prefeitura de Joinville, Udo Döhler, mas acatou a determinação judicial e excluiu a página a tempo de evitar que o site saísse do ar.

Com o título de "Udo Caduco", a página satirizava o candidato - o que fez com que os representantes do peemedebista entrassem com uma ação para pedir a exclusão. A assessoria de imprensa do Facebook afirmou ter cumprido a determinação da Justiça. "O Facebook tem profundo respeito pelas decisões da justiça brasileira e cumpriu a ordem judicial dentro do prazo estabelecido", informa a nota.

Veja também

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo
economia

237 mil trabalhadores com salário reduzido têm atraso em benefício do governo

Agências do INSS não abrem nesta quarta-feira (28)
inss

Agências do INSS não abrem nesta quarta-feira (28)