A-A+

Após receber texto de reforma administrativa, Bolsonaro diz que passará a noite estudando

A equipe ministerial apresentou a proposta de reforma que altera regras para servidores públicos federais a Bolsonaro nesta terça

Presidente Jair BolsonaroPresidente Jair Bolsonaro - Foto: Carolina Antunes/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que vai passar a noite desta terça-feira (18) estudando a reforma administrativa. A declaração foi feita logo após ele receber a versão final do texto durante uma reunião no Palácio do Planalto.

"Vou papirar hoje à noite. Vou estudar a noite toda hoje, peguei o consolidado agora", disse ao entrar no Palácio da Alvorada na noite desta terça.

Questionado pelos repórteres, o presidente não quis dar detalhes do texto e não comentou quando ele será enviado ao Congresso.

A equipe ministerial apresentou a proposta de reforma que altera regras para servidores públicos federais a Bolsonaro nesta terça.

Leia também:
Reforma tributária é mais importante que a administrativa, diz Maia
Bolsonaro pode enviar reforma administrativa com veto à filiação partidária


A reunião fez com que o presidente cancelasse um evento que estava marcado para 17h30 para o lançamento do programa Brasil Mais, voltado para ampliar produtividade e competitividade na indústria.

De acordo com o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, a cerimônia foi cancelada para que o presidente pudesse se dedicar à apresentação do projeto.

Um ponto de divergência na proposta que modificará as regras para futuros servidores é o veto à filiação partidária.

Esse item estava em discussão na versão final do texto. Consolidada há duas semanas em reunião no Palácio do Planalto, a proposta de reforma administrativa deve alterar a estrutura do funcionalismo e o plano de cargos e salários.

Se a proposta de proibir a adesão a partidos não for retirada, a medida deve enfrentar forte resistência no Congresso.

Esta é a segunda proposta de reforma que o governo Bolsonaro deve enviar ao Legislativo. No ano passado, a atual gestão conquistou sua primeira vitória ao conseguir aprovar mudanças nas regras previdenciárias do país.

Na agenda reformista do ministro Paulo Guedes (Economia) ainda há a previsão de envio de um texto para rever a estrutura tributária.

Veja também

Crescem reclamações sobre cobranças indevidas de crédito consignado
INSS

Crescem reclamações sobre cobranças indevidas de crédito consignado

Aposta única leva prêmio de R$ 11,5 milhões da Mega-Sena
Loteria

Aposta única leva prêmio de R$ 11,5 milhões da Mega-Sena