Argentina

Após rumores, ministro da Economia da Argentina garante rumo econômico do governo

Em sua conta na rede social "X", Caputo escreveu que o FMI não tem problemas com a adoção

Os últimos dias na Argentina estão sendo marcados por uma série de especulações sobre as próximas medidas econômicas do paísOs últimos dias na Argentina estão sendo marcados por uma série de especulações sobre as próximas medidas econômicas do país - Foto: Juan Mabromata/AFP

O Ministro da Economia da Argentina, Luis Caputo, ratificou o rumo econômico do governo nacional nesta sexta-feira, 21.

Através de uma mensagem nas redes sociais ele negou uma desvalorização do câmbio, garantiu que ainda não está em vigor um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) e ratificou a continuidade do chamado "dólar Blend" em 80/20 - um regime que permite as exportações liquidadas de maneira mista entre o câmbio oficial e o paralelo.

Em sua conta na rede social "X", Caputo escreveu que o FMI não tem problemas com a adoção desta medida.

Os últimos dias na Argentina estão sendo marcados por uma série de especulações sobre as próximas medidas econômicas do país, incluindo rumores sobre uma nova desvalorização do peso, dentro de um cenário no qual há persistência na quantidade reduzida de moeda estrangeira no país.

O feriado prolongado de 20 de junho fechou os mercados na quinta-feira e nesta sexta, mas as ações argentinas em Nova York apresentaram fortes recuos.

Caputo negou novas ações, e disse que o governo informará no caso de medidas adicionais.

"Saibam que, como sempre aconteceu desde que tomamos posse, quando houver qualquer alteração na política econômica, nós próprios informaremos e que, se dissermos alguma coisa, cumpriremos", escreveu.

Veja também

Mega-Sena 2.748: prêmio acumula pela terceira vez e chega a R$ 21 milhões
loteria

Mega-Sena 2.748: prêmio acumula pela terceira vez e chega a R$ 21 milhões

Lei que padroniza índices de correção e juros ainda gera dúvidas a especialistas
padrão

Lei que padroniza índices de correção e juros ainda gera dúvidas a especialistas

Newsletter