Privatizações

Bolsonaro libera lista de privatização de porto, aeroporto e rodovia

Em decreto nesta terça-feira (23), presidente cumpre nova etapa do processo que inclui Congonhas e Santos Dumont

Presidente da República, Jair BolsonaroPresidente da República, Jair Bolsonaro - Foto: Isac Nóbrega/PR

Um dia depois de receber a forte reação do mercado por causa da intervenção na Petrobras, Bolsonaro deu um passo no projeto de concessões e desestatizações de rodovias, portos e aeroportos.

O presidente publicou um decreto nesta terça-feira (23) com a lista de empreendimentos que foram qualificados na reunião do conselho do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) no início de dezembro.

Com o gesto, ele cumpre mais uma das etapas legais que precisam acontecer no processo. O ato é uma liberação fundamental para dar sequência a concessões e desestatizações. As próximas fases envolvem contratação de estudos, audiências públicas, Tribunal de Contas da União, edital e leilão.

A mensagem foi interpretada no setor de infraestrutura como uma tentativa de Bolsonaro de amenizar a imagem de estatizante que ficou colada a ele desde o final de semana, e que pode atrapalhar a atração de investimentos.

Entre os mais de 30 empreendimentos, a lista inclui a concessão de aeroportos como Congonhas e Santos Dumont e a desestatização da Codeba (Companhia Docas da Bahia), que administra os portos de Salvador, Aratu e Ilhéus.

Veja também

Não há sinal de fim de recessão e economistas já veem 2021 como ano perdido
Economia

Não há sinal de fim de recessão e economistas já veem 2021 como ano perdido

Disney fechará pelo menos 60 lojas físicas na América do Norte este ano
Consumo

Disney fechará pelo menos 60 lojas físicas na América do Norte este ano