Após um mês sem reajustes, Petrobras reduz preço do diesel em 1,5% nas refinarias

É o primeiro ajuste depois de mais de um mês de estabilidade no valor de venda do combustível

PetrobrasPetrobras - Foto: Agência Petrobras/Geraldo Falcão

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (25) corte médio de 1,5% no preço do diesel vendido em suas refinarias. É o primeiro ajuste depois de mais de um mês de estabilidade no valor de venda do combustível e pode ajudar a compensar parcialmente a alta do preço do biodiesel na semana passada.

O corte é de R$ 0,0348 por litro, que leva o preço médio de venda do produto a R$ 2,2674 por litro, segundo contas do CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura). O último reajuste no preço do diesel havia sido feito no dia 19 de setembro -alta de 4,2%.

Leia também:
Petrobras tem lucro líquido de R$ 9,1 bilhões no terceiro trimestre
Óleo retirado das praias vira combustível para indústrias de cimento

De acordo com o CBIE, o diesel nas refinarias da Petrobras fechou a semana passada R$ 0,10 por litro mais caro do que a cotação do Golfo do México, usada como referência para o mercado brasileiro.

O repasse às bombas do corte nas refinarias depende de políticas comerciais de distribuidoras e revendedores. Segundo a Petrobras, o valor do diesel em suas refinarias representa 55% do preço final de bomba -o restante são impostos, margens e a parcela de biodiesel acrescentada ao produto final.

Esta última vez registrando alta nos últimos meses, acompanhando a elevação da cotação da soja brasileira em meio à guerra comercial entre China e Estados Unidos. No último leilão da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), o litro do biodiesel ultrapassou a casa dos R$ 3 pela primeira vez.

Em quatro meses, o produto acumula alta de 32%, pressionando o preço de bomba do diesel. O biodiesel representa 8% do valor de venda do combustível, de acordo com as contas da Petrobras.

Nesta quinta (24), a estatal anunciou lucro de R$ 9,1 bilhões no terceiro trimestre de 2019, resultado 36,8% superior ao verificado no mesmo período do ano anterior. Segundo a empresa, uma das razões do desempenho foi a "captura de melhores margens no diesel e no GLP (gás de cozinha)".

Veja também

Reforma tributária deve ser aprovada até o fim do ano
Tributária

Reforma tributária deve ser aprovada até o fim do ano

É hora de fazer economia em casa
Economia doméstica

É hora de fazer economia em casa