Argentina recorre ao FMI para equilibrar contas

A Argentina tinha deixado de pedir empréstimos ao FMI há mais de dez anos, desde que pagou a dívida com a instituição financeira e renegociou com a maior parte dos credores

Mauricio Macri, presidente da Argentina Mauricio Macri, presidente da Argentina  - Foto: Wikipedia

O governo da Argentina voltará a recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI), em busca de apoio externo, para equilibrar a situação financeira do país, depois da disparada do dólar na semana passada. O anúncio foi feito pelo presidente argentino, Mauricio Macri, há mais de dois anos no cargo.

A Argentina tinha deixado de pedir empréstimos ao FMI há mais de dez anos, desde que pagou a dívida com a instituição financeira e renegociou com a maior parte dos credores.

Leia também:
Shell vende parte de seus negócios na Argentina à Raízen
Temer usa FGTS em obras para reforçar discurso na eleição

Macri fez o anúncio no momento em que os argentinos ainda buscam compreender as últimas medidas econômicas adotadas para frear a disparada do dólar. As ações não foram suficientes para dissipar a preocupação com a capacidade do governo de conter a inflação e evitar outra desvalorização do peso. A moeda norte-americana chegou a 23,40 pesos nesta terça-feira (8).

Veja também

Lira diz que MP da privatização da Eletrobras será votada amanhã
Privatizações

Lira diz que MP da privatização da Eletrobras será votada amanhã

Aumenta número dos que buscam informação sobre Covid nas redes sociais
Coronavírus

Aumenta número dos que buscam informação sobre Covid nas redes sociais