Arrecadação federal cresce 0,59% em 2017 após três anos de queda

O crescimento real aconteceu após três anos consecutivos de queda

gráfico_Hgráfico_H - Foto: Reprodução/Internet

A arrecadação federal teve alta de 0,59% em 2017 e somou R$ 1,34 trilhão, o melhor resultado desde 2015, de acordo com dados divulgados pelo governo nesta sexta-feira (26). O crescimento real aconteceu após três anos consecutivos de queda. Em 2016, a arrecadação das receitas federais foi de R$ 1,29 trilhão.

No mês passado, a arrecadação somou R$ 137,8 bilhões, o que representa uma alta real de 4,9% ante dezembro de 2016, quando foi de R$ 127,6 bilhões. O resultado de dezembro do ano passado é o melhor para o mês desde 2014.

Leia também:
Dívida pública pode alcançar até R$ 3,98 trilhões em 2018
Tesouro Direto registra recorde de investimento com R$ 19,438 bilhões


O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Malaquias, classificou o resultado do ano passado como "extremamente positivo". "Esse resultado reflete o inicio da recuperação econômica e encerra um ciclo de queda na arrecadação", disse.

O aumento dos tributos (PIS/Cofins) sobre combustíveis, anunciado em julho pelo governo do presidente Michel Temer, garantiu uma arrecadação maior neste ano, mas em valor inferior aos cerca de R$ 10 bilhões que esperava a equipe econômica à época. O valor desses tributos recolhido em 2017 foi 5,7 bilhões acima de 2016.
A Receita Federal atribui, ainda, a melhora na arrecadação ao próprio desempenho da economia.

"O resultado da arrecadação foi recorrente da recuperação da atividade econômica, que teve início em 2017. O ritmo da recuperação da atividade está em linha com a arrecadação", afirmou.

Isso pode ser verificado, segundo Malaquias, nos resultados positivos nos indicadores sobre produção industrial, venda de bens, massa salarial e importação. "Temos sinalizadores positivos, como tributos que incidem sobre as importações. É um sinal positivo, significa que as industrias estão recuperando a sua atividade. Depois temos outro sinal positivo, que é o IPI. Esses tributos também sinalizam a recuperação ou retomada da indústria", disse.

Malaquias afirmou, ainda, que a expectativa para 2018 é que o processo de recuperação continue. "Janeiro, até hoje, está muito bom [o comportamento da arrecadação]", disse.

As chamadas receitas administradas tiveram uma queda real de 0,39% ante 2016 e somaram R$ 1,3 trilhão no ano passado. Em dezembro, ao contrário, ocorreu uma alta de 4,7%. A arrecadação com o novo Refis somou R$ 26 bilhões no ano passado, considerando também aqueles que migraram de um programa de parcelamento anterior para o novo.

"Grande parte dos contribuintes que aderem a um parcelamento mais favorável são contribuintes que já estavam em um parcelamento. O que ocorre é que há uma perda na arrecadação", disse.

Veja também

Não dá para ficar muito tempo mais com auxílio, diz Bolsonaro
Auxílio Emergencial

Não dá para ficar muito tempo mais com auxílio, diz Bolsonaro

INSS define como comprovar vida de beneficiário que mora no exterior
Benefício

INSS define como comprovar vida de beneficiário que mora no exterior