A-A+

Arrecadação federal tem alta real de 1,48% em novembro

Os maiores saltos de arrecadação foram observados no Imposto de Renda, IOF (Imposto sobre operações financeiras) e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)

Arrecadação federalArrecadação federal - Foto: Pixabay

A arrecadação do governo apresentou alta de 1,48% acima da inflação em novembro, na comparação com o mesmo período de 2018. As receitas federais somaram 125,2 bilhões no mês. O resultado, informado pela Receita Federal nesta quinta-feira (19), é o melhor registrado em cinco anos.

De acordo com o fisco, a maior parte dos indicadores econômicos teve melhora no mês, em comparação com o ano anterior, o que contribuiu para a ampliação das receitas. Houve elevação na massa salarial (4,4%), vendas de bens (5,6%) e venda de serviços (2,7%).

Leia também:
Com alta dos preços da carne, inflação deve ficar em 0,81% em dezembro
Receita Federal exigirá CPF/CNPJ nas encomendas internacionais
Receita abre consulta ao 7º lote de restituição do Imposto de Renda

Os maiores saltos de arrecadação foram observados no Imposto de Renda, IOF (Imposto sobre operações financeiras) e IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).
No período acumulado entre janeiro e novembro, a arrecadação está em R$ 1,389 trilhão, uma alta real de 1,88% em relação ao ano anterior.

Embora tenham sido alvo de críticas da equipe econômica desde o início do governo, as desonerações ficaram mais altas neste ano. As renúncias tributárias somaram R$ 87,2 bilhões de janeiro a novembro, contra R$ 79,6 bilhões do mesmo período de 2018.

Parte da ampliação das desonerações é explicada pela redução de tributos sobre o óleo diesel, instituída em junho do ano passado após a greve dos caminhoneiros. A renúncia sobre o diesel passou de R$ 4,5 bilhões em 2018 para R$ 9,8 bilhões neste ano.

Veja também

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)
Empreendedorismo

Curso Mulheres de Negócios, do Sebrae, abre inscrições na próxima segunda-feira (18)

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe
Economia

Empresas de beleza esperam receita de US$ 30 milhões no mercado árabe