A-A+

Atividade da indústria da construção volta a cair em janeiro

Tradicionalmente, janeiro registra queda na atividade da indústria da construção

IndústriaIndústria - Foto: Arquivo/Agência Brasil

A atividade da construção voltou a cair em janeiro, apontou nessa quinta-feira (27) pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Apesar da retração, o ritmo da queda diminuiu em relação a dezembro.

Em janeiro, o índice de atividade do setor ficou em 47,5 pontos, contra 45,8 pontos em dezembro. Resultados abaixo de 50 pontos indicam contração. Em janeiro do ano passado, o indicador estava em 44 pontos, o que sinaliza que a retração neste ano foi menor.

Leia também:
Indústria brasileira de brinquedos espera produção histórica com coronavírus
Coronavírus afeta 60% da indústria de eletroeletrônicos do Brasil, diz entidade
Até 70% da população global pode contrair coronavírus, diz Harvard


Tradicionalmente, janeiro registra queda na atividade da indústria da construção. Segundo a CNI, isso ocorre por causa do período de férias, do volume de chuvas, das festas de fim de ano e do movimento nas estradas. No entanto, outros indicadores, como emprego e utilização da capacidade, apresentaram melhoras que indicam recuperação.

O índice de número de empregados ficou em 47,3 pontos, 4,8 pontos acima do verificado há um ano. Segundo a CNI, o indicador está no nível mais alto para meses de janeiro desde 2013, quando atingiu 49 pontos. A ociosidade caiu. O nível de utilização da capacidade operacional fechou janeiro em 60%, alta de cinco pontos percentuais em relação ao mesmo mês de 2019. Nas grandes empresas, o índice chegou a 64% e está nove pontos acima de janeiro do ano passado.

Para a CNI, a recuperação da indústria da construção reflete a estabilidade da economia e a redução dos juros. A pesquisa revelou que os empresários do setor mantêm o otimismo para os próximos meses. O Índice de Confiança do Empresário da Construção (Icei-Construção) fechou janeiro em 62,1 pontos, bem acima da linha divisória de 50 pontos que separa expectativas positivas de negativas.

A Sondagem Indústria da Construção ouviu 478 empresas do setor em todo o país entre 3 e 12 de fevereiro. Entre as empresas entrevistadas, 168 são pequenas, 202 são médias e 108 são de grande porte. A pesquisa é feita em parceria com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic).

Veja também

Bolsonaro diz que inflação não é por 'maldade' e alerta: 'Nada está tão ruim que não possa piorar'
INFLAÇÃO

Bolsonaro diz que inflação não é por 'maldade' e alerta: 'Nada está tão ruim que não possa piorar'

Facebook suspende projeto do Instagram para crianças
TECNOLOGIA

Facebook suspende projeto do Instagram para crianças