Bancários podem entrar em greve

Paralisação é admitida caso os bancos não atendam as reivindicações da campanha salarial deste ano, que será lançada nesta quinta-feira (21) no Recife

Presidente do Sindicato dos Bancários, Suzineide RodriguesPresidente do Sindicato dos Bancários, Suzineide Rodrigues - Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Mal deu início à campanha salarial deste ano e o Sindicato dos Bancários já considera a possibilidade de entrar em greve. Segundo pesquisa realizada pelo Comando Nacional dos Bancários, 60% da categoria está disposta a cruzar os braços caso suas reivindicações não sejam atendidas pelos bancos. E, na avaliação dos dirigentes sindicais, esta negociação deve ser difícil. É que, além de ganho real, os bancários pedem a manutenção de direitos que foram postos em xeque pela Reforma Trabalhista.

Leia também:
Greve dos caminhoneiros custará R$ 15 bilhões para a economia
Brasil é o segundo em concentração bancária

Presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Suzineide Rodrigues explicou que as novas leis trabalhistas podem alterar 15 cláusulas da convenção da categoria. Com isso, os bancos poderiam, entre outras coisas, demitir sem comunicar o desligamento ao sindicato, trocar horas extras por banco de horas, contratar terceirizados com salário inferior, implantar o trabalho intermitente e fazer acordos individuais, excluindo, por exemplo, os bancários que ganham mais de R$ 12 mil da convenção coletiva. “São direitos históricos que não queremos perder. E a grande maioria dos bancários já disse que, se for preciso, tem disposição a aderir a greve para manter isso”, falou Suzineide. Ainda segundo a pesquisa da categoria, 23% dos bancários acreditam que manter esses direitos deve ser a prioridade da campanha deste ano. É quase o mesmo percentual dos que consideram como prioridade o reajuste salarial (no caso, a inflação mais 5% de ganho real): 25%.

Por isso, o sindicato realiza nesta quinta-feira (21) um ato no Centro do Recife para apresentar suas reivindicações. A pauta foi entregue à Federação Nacional de Bancos (Fenaban) no último dia 13. Mas a Fenaban só vai se posicionar sobre o assunto depois que a negociação com a categoria tiver início, na próxima semana.

Veja também

Com encarecimento de energia e gás, mais brasileiros devem atrasar contas
Economia

Com encarecimento de energia e gás, mais brasileiros devem atrasar contas

Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio para nascidos em março
Economia

Caixa paga hoje 3ª parcela do auxílio para nascidos em março