Banco central dos EUA mantém juro, mas sinaliza que taxa sobe em dezembro

Decisão tem impacto especial para as economias dos países emergentes, inclusive o Brasil

AlepeAlepe - Foto: Henrique Genecy/ Folha de Pernambuco

O Fed (banco central dos EUA) decidiu nesta manter a taxa básica de juros da economia americana. No entanto, o banco sinalizou que um aumento na taxa deve ocorrer no encontro marcado para o mês que vem.

A decisão do Fed, comandado por Janet Yellen, é acompanhada com atenção por todo o mundo e tem impacto especial para as economias dos países emergentes, inclusive o Brasil.

A chance de um aumento dos juros cresceu, mas a principal preocupação dos investidores neste momento é a eleição entre Hillary Clinton e Donald Trump.

O índice S&P 500 (que inclui 500 grandes empresas americanas), da Bolsa de Nova York, caiu 0,7% e acumula sete pregões seguidos de queda, a pior sequência desde novembro de 2011.

A queda da Bolsa de Valores dos Estados Unidos reflete as incertezas sobre a eleição presidencial da semana que vem, com pesquisa nacional recente mostrando Trump à frente da adversária democrata.

Não é só a Bolsa americana que mostra a preocupação com o cenário eleitoral indefinido. Um indicador de volatilidade, que mede as expectativas dos investidores para as ações, acumula também sete pregões de alta, algo que não acontecia desde 2013.

O resultado é que os investidores estão, na reta final do período eleitoral americano, aumentando a procura por aplicações que garantam uma maior proteção do seu portfólio contra variações bruscas.

Veja também

Governo dá início a processo de fusão entre Valec e EPL
economia

Governo dá início a processo de fusão entre Valec e EPL

Rio tenta adiar julgamento sobre royalties do petróleo no STF
petroleo

Rio tenta adiar julgamento sobre royalties do petróleo no STF