Renegociação

Banco do Nordeste lança pacote de renegociação de dívidas com novos prazos

Banco do NordesteBanco do Nordeste - Foto: Divulgação

O Banco do Nordeste (BNB) lançou um novo pacote de medidas para renegociações de operação de crédito com empresas dos setores mais impactados pela pandemia da Covid-19. A medida se dá em aderência à Portaria nº 20.809, de 14 de setembro, do Ministério da Economia. Com as medidas, complementares às condições vigentes de renegociações de dívidas, será possível estabelecer nova carência e alongar o vencimento final da operação, o que resultará na redução do valor das prestações, permitindo que as empresas possam estruturar suas operações de crédito. 

O BNB desde o início da pandemia adequa as parcelas e os juros das operações de crédito, com objetivo de ajustar o valor a ser pago mensalmente por conta da situação vivenciada por empresas de todos os portes que contrataram operações com o Banco.

As novas condições aplicam-se às operações de empresas não rurais, contratadas até 7 de abril de 2020. A nova carência e os acréscimos aos vencimentos das operações variam de quatro a seis meses, de acordo com o nível de impacto sofrido pelos setores de atividade, classificado em baixo, médio ou alto.

As operações contratadas por empresas de médio e grande porte que tiveram alto impacto pela pandemia poderão ter carência estabelecida até 30 de junho de 2021. Já para as médias e grandes empresas que tiveram baixo ou médio impacto, a primeira parcela passa a ser cobrada em maio de 2021.

As regras valem também para clientes que já renegociaram as operações nas modalidades lançadas previamente pelo Banco do Nordeste. O cadastro da renegociação pode ser efetuado no internet banking, pelo site www.bnb.gov.br - ou pelo Aplicativo do Banco, disponível na App Store e Play Store.

Startups
O Banco do Nordeste (BNB) apresentou nesta quarta-feira oportunidades abertas pelo Fundo Anjo, estruturado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e gerido pela Domo Invest, voltado para startups, micro e pequenas empresas de perfil inovador e alto potencial de crescimento. 

O FIP Anjo está em operação desde agosto de 2019 e, em cinco anos, apoiou até 150 empresas inovadoras de base tecnológica, que atuam nos setores de economia criativa, agritech, healthtech, biotech, tecnologia de informação, fintechs, cidades inteligentes e mobilidade urbana. As operações podem variar de R$ 100 mil a R$ 2 milhões, sendo estes investimentos iniciais realizados em parceria com investidores-anjo.

Veja também

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial
Benefício

Secretários de Fazenda apelam ao Congresso pela prorrogação do auxílio emergencial

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão
Restrições

Lojas e restaurantes de São Paulo dizem que novas restrições levarão a mais demissão