BC pode aumentar intervenção para conter alta no dólar, diz Goldfajn

Segundo Goldfajn, a autoridade monetária venderá, até o final da próxima semana, US$ 20 bilhões em contratos de swap com o objetivo de conter a disparada da moeda americana

Presidente do Banco Central, Ilan GoldfajnPresidente do Banco Central, Ilan Goldfajn - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta quinta-feira (7) que a autoridade monetária poderá realizar atuações no câmbio além das máximas históricas para conter a valorização do dólar. Nesta quinta-feira (7), o dólar comercial fechou em alta de 2,24%, cotado a R$ 3,925. No dia, chegou a subir mais de 3% e alcançou R$ 3,968.

Segundo Goldfajn, a autoridade monetária venderá, até o final da próxima semana, US$ 20 bilhões em contratos de swap com o objetivo de conter a disparada da moeda americana. Goldfajn ainda afirmou que a política monetária, ou seja, as reuniões do Copom (Comitê de Política Monetária do BC) que definem a taxa básica de juros, é separada da política cambial.

Leia também:
'Não há risco de crise cambial no Brasil', diz Temer
BC e Tesouro atuam para conter volatilidade do dólar, diz Guardia

Questionado sobre a possibilidade de uma reunião extraordinária do Copom, como foi aventado pelo mercado, ele declarou que o comitê se reúne a cada 45 dias, e que são "essas as reuniões que valem".

Veja também

Prazo para débito automático do IR desde a primeira cota termina nesta segunda
Imposto de Renda

Prazo para débito automático do IR desde a primeira cota termina nesta segunda

Pandemia trava avanços de jovem no mercado de trabalho
Coronavírus

Pandemia trava avanços de jovem no mercado de trabalho