Foram encontrados 23 resultados para "Concursos e empregos":

Computador
ComputadorFoto: Divulgação

A Experis, empresa do ManpowerGroup anuncia 30 vagas de desenvolvedores para atuar em uma multinacional de tecnologia em Recife. São 20 oportunidades para o cargo de Desenvolvedor Java Pleno/Sênior e 10 para Desenvolvedor Front-End Pleno/Sênior.
Para se candidatar à vaga de desenvolvedor Java o profissional precisa ter ensino superior completo ou estar cursando e conhecimento e experiência em desenvolvimento JAVA.

O conhecimento da linguagem PL/SQL, que é uma linguagem de programação, considerado pela empresa como um diferencial para concorrer à vaga. O profissional selecionado atuará com programação, desenvolvimento e implantação de sistemas em linguagem Java, realizando ainda correções em sistemas para atender às necessidades dos usuários e desenvolver trabalhos de montagem, depuração e testes de programas já desenvolvidos.

Já para atuar como desenvolvedor Front-End, o profissional também deve ser formado ou estar cursando o ensino superior, além de ter conhecimento e desenvolvimento Front-End, utilizando as tecnologias Angular e Javascript. O conhecimento da linguagem Node JS é um diferencial. O profissional contratado terá a responsabilidade de projetar, construir e otimizar as interfaces de um projeto web.

A remuneração para as duas vagas segundo a Experis é competitiva e o pacote de benefícios das vagas inclui vale-refeição, vale-transporte, plano de saúde, previdência privada, desconto na compra de ações da empresa, plano de carreira e desenvolvimento e acesso constante a tecnologia de ponta.

Os interessado em concorrer a alguma das vagas podem se cadastrar por meio do portal experis.manpowergroup.com.br/, e pesquisar as vagas por meio dos códigos 22869, para a vaga de desenvolvedor Java, e 22868, para desenvolvedor Front-End.

Ensino superior
Ensino superiorFoto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) vai ofertar 59.028 vagas em 76 instituições públicas de ensino em todo o país no segundo semestre deste ano. As inscrições começam amanhã (4) e podem ser feitas até sexta-feira (7), na página do programa.
O número de vagas aumentou em relação ao ano passado, quando foram ofertadas, no segundo semestre, 57.271. O número de instituições participantes também cresceu, eram 68. Nesta edição, de acordo com o Ministério da Educação, estão disponíveis 64 cursos a mais para os candidatos.

Os estados com mais vagas são Rio de Janeiro, com 12.937, Minas Gerais, com 8.479, Bahia, com 6.745, e Paraíba, com 5.990.

O resultado da chamada regular será divulgado no dia 10 de junho. As matrículas devem ser realizadas de 12 a 17 de junho. O prazo para aderir à lista de espera é 11 a 17 de junho.

Podem participar do Sisu os estudantes que fizeram prova do Exame Nacional do Ensino Médio em 2018 e obtiveram nota na redação acima de zero.

Thiago Cabral é analista do Senac e destacou cursos técnicos mais procurados pelas pessoas
Thiago Cabral é analista do Senac e destacou cursos técnicos mais procurados pelas pessoasFoto: Leo Malafaia/ Folha de Pernambuco

Diante do cenário de desemprego no Brasil - índice subiu para 12,7% no trimestre encerrado em março, atingindo 13,4 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) - e da subutilização da força de trabalho, que totallizou 28,3 milhões de pessoas no trimestre encerrado em março, a qualificação técnica e profissional se torna, cada vez mais, um diferencial para a inserção no mercado de trabalho brasileiro.

Se a escassez de vagas é crescente, a corrida por emprego também passa a exigir mais dos candidatos. Para se destacar, especializar-se é primordial. Nesse cenário, os cursos técnicos e tecnológicos continuam sendo uma opção viável para quem não dispõe de tempo e precisa de um retorno mais imediato, ou seja, a colocação no mercado. Apesar do ensino superior continuar sendo fundamental para uma formação profissional mais sólida, os cursos técnicos, por sua curta duração e foco nas necessidades do mercado, são ótimas opções para dar direcionamento em uma carreira.

"O curso técnico demanda não só maior atuação para o mercado de trabalho, mas existe também a questão do custo benefício, que é bem mais elevado quando se trata de um curso superior, pois leva muito mais tempo para ser concluído. Então a gente consegue preparar aquele aluno, em um curto espaço de tempo para o mercado de trabalho, onde ele vai ter uma renda para se manter hoje, onde temos um índice de desemprego muito alto", explica o analista de Educação Profissional do Senac, Thiago Cabral.

Entre os cursos técnicos que se destacam, o analista elencou as áreas de administração, design de interiores, enfermagem e Rádio e TV. Todos eles são orientados pelas diretrizes estipuladas no Fórum Setorial, do qual o Senac participa desde 2014. O encontro envolve representantes de empresas, sindicatos patronais e trabalhistas, acadêmicos e especialistas do próprio Senac com o objetivo de definir as competências necessárias em cada área. Além disso, os cursos se baseiam nas chamadas "marcas formativas" que incluem princípios como domínio técnico-científico, visão crítica, atitude (empreendedora, sustentável e colaborativa).

Segundo Thiago, o ensino técnico é a ponte para que o estudante possa ingressar no mercado. "Hoje há estudos que apontam que 60% dos jovens que concluem o ensino médio não ingressam no ensino superior por algum motivo. E o curso técnico é uma alternativa nesse contexto para que eles possam ter uma formação em um curto espaço de tempo e partir, de fato, para o mercado", avalia. Para o analista, a preferência pelo ensino técnico se deve à necessidade dos jovens de terem uma fonte de renda.

De acordo com o especialista, a alta empregabilidade é visível entre os alunos egressos. "A qualificação é um ponto de partida para quem está procurando emprego e quer se atualizar ou até abrir seu próprio negócio. Só pra se ter uma ideia, 80% dos nossos alunos de cursos técnicos dentro do Senac já saem da sala de aula para a prática da profissão. Isso é um dado bastante relevante", comenta.

Empreendedorismo - Além de serem formados para o mercado, os alunos também são apresentados a uma visão empreendedora, que é uma das diretrizes dos cursos. "O SENAC se torna um diferencial nesse ponto. Nós trabalhamos no nosso modelo pedagógico a questão das marcas formativas e uma delas é o empreendedorismo. Temos uma atitude crítica e empreendedora, uma visão crítica sustentável. E empreendedorismo é algo que a gente consegue trabalhar dentro de nossos projetos integradores de cada curso em sala de aula", destaca.

Até o dia 5 de maio a Ambev recebe inscrições para estágio
Até o dia 5 de maio a Ambev recebe inscrições para estágioFoto: Divulgação

Os interessados em uma vaga na Ambev têm até o próximo domingo (5) para se inscrever no programa de estágio da cervejaria. O cadastro pode ser feito pelo site www.estagioambev.com.br. As vagas são voltadas para universitários que estão no penúltimo ou último ano de faculdade, em várias áreas de atuação e de qualquer região do país. Não é preciso ter experiência prévia.
  
O programa oferece bolsa-auxílio, refeição, vale-transporte e possibilidade de efetivação. O número de vagas não é fechado: varia ano a ano de acordo com as necessidades das diferentes unidades da companhia.

O processo seletivo tem quatro etapas. Após a inscrição online, os currículos são avaliados e os candidatos pré-selecionados são encaminhados para testes de lógica e inglês no próprio site. Depois dessa etapa, os aprovados passam por entrevistas em vídeo e podem ser chamados para participar de um dia com os líderes da companhia, com bastante desenvolvimento, resolução de um case e entrevista. Ao longo deste processo, os futuros estagiários são direcionados à área de atuação que for mais compatível com seu perfil e/ou interesse.

O programa da Ambev começa em agosto e tem duração de dois anos

O programa da Ambev começa em agosto e tem duração de dois anos - Crédito: Divulgação

“Queremos proporcionar as melhores experiências de desenvolvimento para que os estudantes vivenciem os desafios da Cervejaria Ambev. Além de termos a oportunidade de conhecer profissionais jovens e qualificados, também contribuímos para a formação dos participantes ao agregarmos conhecimento nas suas respectivas áreas de interesse. Com isso, todos saem ganhando”, comenta Renato Biava, diretor de Gente e Gestão da Ambev.

O programa começa em agosto e tem duração de dois anos.

Cabeleireiro é profissão com habilidades que vão além da parte técnica
Cabeleireiro é profissão com habilidades que vão além da parte técnicaFoto: Julya Caminha, Folha de Pernambuco

Quando o assunto é beleza, o cabeleireiro surge como o profissional mais requisitado de um mercado que comemora perspectivas otimistas para o futuro. Segundo dados da Euromonitor, a tendência é para um crescimento acima da média nacional de 5% ao ano até 2021. Contexto animador que, segundo especialistas da área, deve envolver aqueles que não ficam apenas no corte e coloração tradicionais.

Leia também 
Mercado reduz projeção de crescimento da economia para 1,89%
Sebrae quer levar inovação para os pequenos negócios
Governo quer reduzir tempo de abertura e fechamento de empresas

É que a imagem do cabeleireiro sempre vive ligada ao primeiro emprego nos salões de bairro e no aprendizado autodidata. Mas, de uns anos para cá, eles estão em novos cenários. Das barbearias aos centros de estética modernos. “O ramo cresceu bastante e, com isso, o público começou a exigir que a o profissional seja completo. Por isso, ele precisa fazer cursos de graduação e pós-graduação antenado às mudanças, mesmo que sejam modismos, para ter a multiplicidade dos seus serviços”, diz Edgard Leal, que atua desde a década de 1990. Hoje, também exerce a função de visagista, esteticista de imagem e designer.

Trabalhar com cabelo parece simples, mas não é. É como se fosse uma área de saúde, porque você mexe com o psicológico de alguém enquanto lida com um tecido do corpo”, completa Leal, destacando ainda que, no futuro, apenas pessoas capacitadas para química e coloração, por exemplo, tendem a lidar com essa função. Para a empresária Luana Mendes, sócia-proprietária do salão Expresso Musa, o pulo do gato está na intenção é vender bem estar e não beleza externa. “Nossos cabeleireiros estão sempre se atualizando e qualificando com os cursos renomados no mercado. Temos um perfil de cliente exigente em busca de qualidade. Priorizamos um atendimento personalizado e que faz toda diferença no nosso negócio”, completa. Há quatro anos, ela abriu o próprio negócio depois de 12 anos atuando numa multinacional.

Capacitação

Só o Senac-PE forma mais de 100 profissionais por semestre, segundo a instrutora do curso de Cabeleireiro, Eliane Cristina Ferreira. São 400 horas aula com disciplinas entre gestão, estoque, higienização, química entre outros assuntos. Isso sem falar nos cursos de aperfeiçoamento, que acompanham as tendências do setor. “Costumo dizer que é uma área mutante. E, ainda assim, a pessoa não pode ir em campo apenas na questão técnica, mas saber lidar com as expectativas e a autoestima do outro”, explica, reforçando também que as dificuldades financeiras desse momento econômico também estimulam criatividade e novas soluções.

É nicho que a Tac Store Cosmetics, da empresária de recursos humanos e cosméticos Taciana Mahnic, promete abordar, de 08 a 10 de abril, no Hotel Atlante Plaza, em Boa Viagem, com o curso PhD em Penteados. Por lá, o influencer e educador na área de penteados, Paulo Persil ministra além do curso um workshop sobre o assunto. “Como o nosso mercado da beleza está sempre em evolução, precisamos de profissionais modernos que sejam capazes de acompanhar todas essas novidades e que tenham senso estético e interesse em moda e beleza”, garante Taciana Mahnic.

Para quem se interessa nesse universo, o conselho é não se limitar à rotina. “Se você é um profissional antenado e consegue manter-se sempre para atender bem seus clientes, eles irão lhe seguir em qualquer salão que você venha a trabalhar ou até mesmo quando abrir o próprio negócio”, ressalta Edson Xavier Jr, da MPE Consultoria & Treinamento e especialista em marketing e liderança comportamental.

concurso
concursoFoto: Arte: Folha de Pernambuco

Saiu o edital de duas seletivas bastante aguardadas pelos concurseiros. Uma delas é o da Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco (PGE-PE), que abre inscrições na terça-feira (4) e segue até 3 de janeiro. Nesse período, os interessados devem entrar no site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) e preencher o formulário disponível apenas na internet.

São 88 vagas distribuídas entre as áreas de analista administrativo de Procuradoria, analista judiciário de Procuradoria e assistente de Procuradoria, além da formação de cadastro de reserva. As regras do edital reforçam os pré-requisitos necessários para cada função. O candidato a analista judiciário deve ser graduado em Direito e estar inscrição na OAB.

Já o cargo de analista administrativo de Procuradoria é dividido nas especialidades de calculista (graduação em Ciências Contábeis, Economia, Administração, Engenharia, Matemática ou Estatística), engenharia (graduação em Engenharia Civil ou Arquitetura e registro no respectivo órgão fiscalizador), gestão pública (graduação em Ciências Contábeis, Economia, Administração, Direito ou Engenharia) e recursos humanos (graduação em Administração, Psicologia ou Pedagogia).

A taxa de inscrição custa R$ 120 e R$ 80, a depender da escolaridade. O vencimento para nível superior é de R$ 3.880,33 com jornada de 40 horas semanais. Para quem terminou o ensino médio ou técnico, a vaga de assistente de Procuradoria oferece remuneração de R$ 2.263,79 também para 40 horas semanais. Ambos farão prova objetiva no mês de abril, mas os candidatos de nível superior também farão prova discursiva.

Outros Estados
As inscrições para o concurso da Polícia Rodoviária Federal começam nesta segunda (3) e seguem até 18 de dezembro. São 500 vagas para o cargo de policial rodoviário federal, com salário de R$ 9.473,57. Os candidatos devem ter nível superior, Carteira Nacional de Habilitação e disponibilidade para 40 horas semanais.

As vagas estão distribuídas no Acre (17); Amapá (28); Amazonas (23); Bahia (17); Goiás (27); Maranhão (18); Mato Grosso (9); Mato Grosso do Sul (35); Minas Gerais (57); Pará (81); Piauí (22); Rio de Janeiro (10); Rio Grande do Sul (74); Rondônia (15); Roraima (23); São Paulo (19) e Tocantins (25). Os interessados devem entrar no site do Cespe e desembolsar a taxa de R$ 180.O certame será realizado com provas objetiva e discursiva marcadas para 3 de fevereiro. Além de exame de capacidade física, avaliação psicológica e de saúde, além da avaliação de títulos e investigação social.

Razão ou emoção
Razão ou emoçãoFoto: Arte: Folha de Pernambuco

Já se perguntou o que você faria numa situação ameaçadora no ambiente de trabalho? Ter um desentendimento com a equipe, receber um feedback negativo da diretoria ou falhar em uma atividade importante exigem equilíbrio emocional e racional para o desenrolar dessa história. Como ninguém está livre de passar por situações como essas, ainda mais num mundo tão imediatista e competitivo quanto o empresarial, a dica dos gestores de recursos humanos é exercer o autoconhecimento e analisar os pequenos erros assim que eles acontecem.

É que em momentos de provação, a tendência de muitas pessoas é ficar tomada pelas emoções e perder a condição de ter conversas corajosas que sejam produtivas. Ainda mais porque, do outro lado, é sempre esperado uma resposta competente e adequada a esse momento. Segundo Bettina Krutman, sócia da consultoria Competência no Desenvolvimento Humano, existem estratégias para não se deixar levar pela primeira coisa que vem na cabeça.

Leia também:
Conhecimento técnico pode não fazer mais a diferença


Uma das orientações é trabalhar a chamada comunicação não violenta. “Essa técnica é poderosa para lidar com conflitos. Ela trabalha com a comunicação empática, o que significa muito mais do que o nosso senso comum de se colocar no lugar do outro”, explica. “A empatia é extremamente difícil. Ela implica em reconhecer a cena que me dispara a emoção, entender que sentimento eu tenho, enxergando que atrás desse sentimento existe uma necessidade minha não satisfeita. Além disso, implica em ter a abertura para entender e validar a necessidade do outro”, diz ela que também ministra o workshop “conversas difíceis” e lida ainda com temas como neurociência das emoções e estratégias para autocontrole.

O lado positivo é que, diferente de tempos atrás, as empresas estão cada vez menos tratando o colaborador como uma máquina operacional. Motivo para as equipes de RH observarem com mais atenção às situações em que a impulsividade vem à tona. Em outra época o primeiro ato impensado já seria motivo para demissão.

Juliana Queiroga, diretora executiva da Grow Consulting, lembra que há alguns anos, o neurocientista português Antonio Damasio acompanhou e estudou um grupo de pessoas que tinham sofrido algum tipo de dano à área do cérebro onde as emoções são geradas. Ele descobriu que estas pessoas levavam uma vida inteiramente normal a não ser pelo fato de não conseguirem sentir emoções. Estes indivíduos também tinham outro fator em comum: eles não conseguiam tomar decisões. Mesmo conseguindo descrever logicamente o passo a passo das ações que tomavam, eles apresentavam dificuldade em tomar simples decisões como escolher o que comer numa refeição, por exemplo.

“A descoberta de Damasio reforça a ideia que a razão e a emoção andam de mãos dadas. Mesmo com uma série de explicações racionais e lógicas, nossas decisões são pautadas por nossas memórias, opiniões e experiências prévias. Nosso cérebro cria atalhos em forma de emoções para nos ajudar nos processos decisórios porque não temos tempo suficiente para refletir sobre todos os fatores”, diz Queiroga. Na prática, vale sempre parar alguns segundos que seja, antes de responder algo que possa machucar, denegrir e comprometer a si mesmo. E se algo foi dito mesmo assim, corrigir só depois de os ânimos acalmarem.

Funase Timbaúba
Funase TimbaúbaFoto: Reprodução/Internet

A Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) publicou, na edição desta quinta-feira (15) do Diário Oficial do Estado (DOE), o edital de uma seleção pública simplificada com doze vagas para agentes socioeducativos. Os profissionais atuarão no Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Timbaúba, situado na Mata Norte de Pernambuco. Ainda haverá 120 vagas para cadastro de reserva. As inscrições começam no próximo dia 26 de novembro e seguirão até 30 de dezembro de 2018. A previsão é de que a divulgação do resultado aconteça em 5 de fevereiro de 2019. 

Para participar, o candidato deverá pagar uma taxa de R$ 33,70 por meio de boleto bancário emitido no site do Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib) – www.idib.org.br – banca organizadora da seleção. Quem se enquadrar nos casos de isenção informados no edital não precisará pagar a inscrição, mas deverá preencher um formulário específico, que também será disponibilizado no site.

As inscrições serão feitas exclusivamente pela internet. A sede da Funase, situada na Avenida Conselheiro Rosa e Silva, 773, no bairro dos Aflitos, no Recife, terá um ponto físico com computador e internet para viabilizar a inscrição de candidatos que não dispuserem desses equipamentos em casa. No local, o Idib também tirará dúvidas sobre o certame.

Leia também:
Inscrições para seleção de estágio no DPU se encerram nesta quarta
Agência do Trabalho do Paulista e Grupo Trino com vagas de emprego abertas


Os selecionados terão salário de R$ 1.584,00 e escala de trabalho de 24 horas de serviço por 72 horas de descanso. Para concorrer, é necessário ter o ensino médio completo. A seleção será feita por meio da análise de experiência profissional e de títulos, sendo 100 a pontuação máxima.

Ficarão mais bem classificados os candidatos que possuírem o ensino superior completo em qualquer área do conhecimento, que tiverem feito cursos na área de Socioeducação e tiverem experiências profissionais anteriores em Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e abrigos, por exemplo.

Entre as funções dos agentes socioeducativos, estão a recepção dos socioeducandos nas unidades, a garantia da integridade física, psicológica e moral deles, o zelo pela disciplina e o acompanhamento e custódia dos adolescentes em consultas médicas, audiências e visitas domiciliares. Os contratos, que são temporários, terão validade de um ano, podendo ser prorrogados por iguais períodos até o máximo de seis anos, conforme necessidade da Funase. Do total de 12 vagas, uma será reservada para pessoa com deficiência.

Após 20 anos, mulher assume presidência da Associação dos juízes do trabalho
Após 20 anos, mulher assume presidência da Associação dos juízes do trabalhoFoto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Feira de Empregabilidade, disponibilizada pelo Grau Técnico oferece oportunidade para se atualizar profissionalmente. Nesta quarta-feira, das 8h às 20h, a unidade de Abreu e Lima oferece serviços gratuitos, como a melhor maneira de elaborar um currículo atrativo; o melhor modo de se preparar para uma entrevista de emprego; e informações sobre a conjuntura atual do mercado.

Além do direcionamento profissional, a feira ainda conta com testes de glicose e de pressão arterial para todos os participantes. O evento é aberto ao público geral até as 17h e o interessado precisa apenas se direcionar para a unidade de Abreu e Lima, que fica na Avenida Duque de Caxias, 78/80, Centro. 

Leia também: 
Evento promove capacitação gratuita para microempreendedores
Esteja pronto para voltar ao mercado de trabalho 

A Feira de Empregabilidade promovida pelo Grau Técnico já foi realizada em Campina Grande (PB), Petrolina (PE), Aracaju, Maceió, Natal, Taguatinga (DF), Recife, Belo Horizonte, Salvador e Caruaru (PE) e está chegando agora em Abreu e Lima (PE). Em breve contemplará outros municípios do País. Para mais informações sobre a feira, entre em contato com o (81) 3542-2444 e 0800-880-1812. WhatsApp: (81) 98199-3821. 

Concurso
ConcursoFoto: Pixabay

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) divulgou, nesta terça (21), o número de vagas e a banca organizadora do concurso para servidores que acontecerá ainda neste ano. O certame vai ofertar 13 vagas para o cargo de técnico ministerial e 10 vagas para analista ministerial. A empresa responsável por organizar a seleção será a Fundação Carlos Chagas (FCC), escolhida por dispensa de licitação.

A expectativa do MPPE é lançar o edital e realizar as provas do concurso até o final de 2018. O último concurso para servidores do MPPE ocorreu no ano de 2012 e também foi organizado pela FCC.

comece o dia bem informado: