Investimento

BNB anuncia disponibilidade de R$ 10 bilhões para investimentos em projetos de energia renovável

O montante tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento de fontes limpas e sustentáveis de energia na região

Painéis solares Painéis solares  - Foto: Soninha Vill/GIZ

Durante o seminário Energia Sustentável no Brasil, realizado na última quarta-feira (28), em São Paulo, o Banco do Nordeste (BNB) anunciou a disponibilidade de R$ 10 bilhões para investimentos em projetos de energia renovável em sua área de atuação ao longo de 2023. O montante tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento de fontes limpas e sustentáveis de energia na região, e contempla desde usinas de energia solar e eólica até pessoas físicas interessadas em instalar placas solares em suas residências.

O diretor de Planejamento do BNB, Aldemir Freire, anunciou os recursos. O evento reuniu autoridades como os governadores do Ceará, Elmano de Freitas, e do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, e o senador Cid Gomes para discutir opções de energia limpa para o País, incluindo o potencial do hidrogênio verde.

Segundo o executivo do BNB, o total ofertado é proveniente da combinação de diversas fontes, como Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), FI-Infra, Agência Francesa de Desenvolvimento e Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) e BNDES, este em cofinanciamento com o FNE. Ele ressaltou os valores que o banco tem empregado na melhoria da infraestrutura energética do país e o diálogo do banco com organismos multilaterais em busca de mais recursos para atender à demanda crescente na Região.

“Nos últimos cinco anos, o Banco do Nordeste destinou mais de R$ 31 bilhões a projetos de geração de energia eólica e fotovoltaica. A Região tem se destacado como um polo promissor para a produção de energia renovável no Brasil, e o BNB enxerga esse potencial como uma oportunidade, reafirmando seu compromisso em promover o desenvolvimento sustentável da região”, afirma Aldemir Freire.

De acordo com o Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), área de pesquisa do BNB, a geração de energia solar cresce, em média, desde 2011, 112% ao ano no Brasil. Para a fonte eólica, esse crescimento é de 40% ao ano. A região Nordeste, pela radiação solar e ventos constantes, desponta como protagonista da mudança da matriz energética do País e concentra a maior parte dos investimentos. 

Mini e microgeração de energia
Uma das linhas de crédito oferecidas pelo BNB é a FNE Sol, com a qual o banco financia projetos de mini e microgeração de energia de empresas privadas industriais, agroindustriais, comerciais e de prestação de serviços, além de produtores rurais e pessoas físicas. A linha de financiamento abrange diversos itens relacionados à energia elétrica fotovoltaica, incluindo componentes, instalação, placas solares, inversores e materiais elétricos. Os juros pré-fixados do produto são a partir de 7,9% ao ano.

Ao longo dos últimos cinco anos, o Banco do Nordeste realizou mais de 24,7 mil operações de crédito por meio da FNE Sol, totalizando um investimento superior a R$ 2 bilhões. “As taxas de juros são o diferencial da FNE Sol. Por contarmos com recursos do Fundo Constitucional, podemos oferecer a nossos clientes as melhores condições de pagamento”, enfatiza Aldemir Freire.

Veja também

Mega-Sena 2.748: prêmio acumula pela terceira vez e chega a R$ 21 milhões
loteria

Mega-Sena 2.748: prêmio acumula pela terceira vez e chega a R$ 21 milhões

Lei que padroniza índices de correção e juros ainda gera dúvidas a especialistas
padrão

Lei que padroniza índices de correção e juros ainda gera dúvidas a especialistas

Newsletter