Economia

BNDES disponibiliza crédito para folha de pagamentos

No total, o BNDES terá R$ 40 bilhões, a metade por mês, para o financiamento de dois meses da folha de pagamento

BNDESBNDES - Foto: Arquivo / Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dispõe, a partir desta quarta (8), de recursos para o Programa Emergencial de Suporte a Empregos, anunciado no dia 27 de março pelo presidente da instituição, Gustavo Montezano, e que é destinado à folha de pagamentos de pequenas e médias empresas.

O Tesouro Nacional informou nessa terça (7) que liberaria R$ 17 bilhões para a primeira parcela dos recursos. No total, o BNDES terá R$ 40 bilhões, a metade por mês, para o financiamento de dois meses da folha de pagamento dessas empresas. A maior parte, R$ 34 bilhões, tem origem no Tesouro Nacional e R$ 6 bilhões são recursos dos bancos.

De acordo com o BNDES, estão aptas a pedir o financiamento as empresas com faturamento anual acima de R$ 360 mil até R$ 10 milhões. Como contrapartida, elas não poderão demitir empregados no período. Pelos cálculos do banco, serão beneficiadas 1,4 milhão de empresas e 12,2 milhões de pessoas.

Leia também:
BNDES estuda fundo com recursos do Tesouro e consulta Aras sobre judicialização
'Não dá, em um governo liberal, o BNDES virar dono das aéreas', diz Maia sobre socorro proposto ao setor
BNDES anuncia R$ 2 bilhões de crédito para área da saúde


O BNDES está preparado para receber a adesão dos bancos privados e públicos que quiserem participar do programa. A partir desta quarta-feira, quem aderir ao programa poderá oferecer a seus clientes a linha do Programa Emergencial de Suporte a Empregos, para financiar o pagamento dos funcionários das empresas, no valor total de até dois salários mínimos por empregado.

Os participantes do programa precisam atender a algumas regras. Além da faixa de faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões, para o pagamento por dois meses dos empregados com salários até R$ 2.090,00, as empresas precisam ter a folha de pagamento processada em uma das instituições financeiras sujeitas à fiscalização do Banco Central.

Ao contratar o crédito, elas vão assumir responsabilidades, como a impossibilidade de rescisão, sem justa causa, do contrato de trabalho de seus empregados no período entre a data da contratação da linha de crédito e o sexagésimo dia após o recebimento da última parcela do financiamento. O BNDES alertou que o não cumprimento dessa regra implicará o vencimento antecipado da dívida.

Os agentes financeiros também passam por regras. Eles não poderão condicionar o crédito à aquisição de qualquer produto ou serviço adicional, ou pagamento de taxa, que não os 3,75% a.a. determinado como custo do financiamento.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Três mil metalúrgicos da Volkswagen em São Bernardo entram em férias coletivas por dez dias
Volkswagen

Três mil metalúrgicos da Volkswagen em São Bernardo entram em férias coletivas por dez dias

McDonald's faz troca-troca na diretoria para lidar com crise global
Negócios

McDonald's faz troca-troca na diretoria para lidar com crise global