BNDES vende ações da União no IRB Brasil Resseguros

Segundo o BNDES, a venda das ações atende a orientação do governo federal de alienar ativos não estratégicos

BNDESBNDES - Foto: Arquivo / Agência Brasil

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou hoje (29) a conclusão da venda de 36,5 milhões de ações ordinárias do IRB Brasil Resseguros pertencentes à União, equivalentes a 11,7% do capital da empresa. As ações estavam depositadas no Fundo Nacional de Desestatização, e sua venda resultou no repasse de R$ 3,2 bilhões ao Tesouro Nacional

De acordo com o BNDES, a oferta pública das ações foi realizada em conjunto com a BB Seguridade, empresa de seguros pertencente ao Banco do Brasil, que detinha 47,5 milhões de ações. Concluída na última terça-feira (23), a operação foi comunicada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no dia seguinte (24). No total, as ações correspondem a 27% do capital do IRB Brasil Resseguros e foram vendidas por R$ 7,4 bilhões. O preço final foi de R$ 88 por ação.

Segundo o BNDES, a venda das ações atende a orientação do governo federal de alienar ativos não estratégicos. O objetivo é que a administração pública federal possa concentrar “seus esforços nas atividades em que a presença do Estado seja fundamental para a consecução das prioridades nacionais”.

Leia também:
Desembolsos do BNDES caem 9% no primeiro semestre
Vice-presidente da Caixa é indicado para diretoria do BNDES
Presidente do BNDES diz que vai priorizar 'caixa-preta' para mostrar patriotismo

O governo federal mantém, porém, uma golden share (ação de ouro) no IRB. Essa ação especial confere à União poder de veto em decisões estratégicas, como indicar o presidente do conselho de administração da companhia ou vetar alterações no objeto social do IRB.

Veja também

Pandemia segura recuperação do setor de seviços, aponta IBGE
Economia

Pandemia segura recuperação do setor de seviços, aponta IBGE

Entenda como o PIB do Brasil registrou crescimento recorde no 3º trimestre
Economia

Entenda como o PIB do Brasil registrou crescimento recorde no 3º trimestre