Bolsa comunica que com aval do BC não fará megaferiado

A decisão da Bolsa é amparada por um comunicado divulgado pelo Banco Central

Bolsa de valores de São PauloBolsa de valores de São Paulo - Foto: Luiz Prado/Divulgação/BM&FBOVESPA

A B3 (Bolsa de Valores brasileira) afirmou, nesta terça-feira (19), que manterá o funcionamento normal de suas atividades apesar do megaferiado de seis dias anunciado pelo governo do estado de São Paulo.

A decisão da Bolsa é amparada por um comunicado divulgado pelo BC (Banco Central) também nesta terça no qual afirma que manterá o feriado de Corpus Christi no dia 11 de junho.

A B3 também acompanhará o calendário do BC e manterá o feriado de Corpus Christi em junho. Nesta segunda (18), dez entidades financeiras enviaram uma carta ao governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pedindo que o sistema financeiro ficasse de fora do feriado prolongado que está sendo organizado pelo estado e pela prefeitura de São Paulo.

Leia também:
Governo Bolsonaro exclui humanas de edital de bolsas de iniciação científica
Ações da Embraer despencam 14% na abertura da Bolsa e negociações são paralisadas


As entidades afirmam que a ação traria problemas sociais, operacionais e jurídicos, além de argumentarem que a inclusão das instituições financeiras no feriado prolongado seria um ato inconstitucional, uma vez que compete à União fiscalizar e regular o sistema financeiro nacional e, portanto, dispor sobre os dias de funcionamento dessas instituições.

A proposta de antecipação de feriados foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) e pelo prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), nesta segunda-feira, como forma de aumentar os índices de isolamento social.

A medida prevê um megaferiado de seis dias: antecipa Corpus Christi (celebrado em junho) e Consciência Negra (novembro), para quarta (20) e quinta (21), deixa a sexta (22) como ponto facultativo e pretende adiantar o feriado estadual de 9 de Julho para segunda-feira (25).

A proposta dos feriados municipais já foi aprovada pela Câmara Municipal de São Paulo e agora aguarda sanção do prefeito de São Paulo, Bruno Covas. O presidente da Assembleia Legislativa, Cauê Macris (PSDB), afirmou que o projeto de adiantamento do feriado de 9 de Julho para segunda-feira (25) deve ser votado em regime de urgência nesta quinta.

Veja também

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE
SONEGAÇÃO

Brasil perde chance de combater sonegação via paraísos fiscais, diz secretária da OCDE

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão
CONTA DE LUZ

Consumidor pode pagar mais R$ 3,6 bi na conta de energia para evitar apagão