Bolsa supera os 64 mil pontos

“A Bolsa continua refletindo o otimismo dos investidores com o avanço do ajuste fiscal proposto pelo governo Temer”, avalia Ignacio Crespo, economista da Guide Investimentos.

Vereador visitou os bairros de Boa Viagem e ArrudaVereador visitou os bairros de Boa Viagem e Arruda - Foto: Divulgação

 

Apesar do cenário externo menos favorável, o Ibovespa, o principal índice da Bolsa, subiu ontem, encerrando o pregão acima dos 64 mil pontos pela primeira vez em mais de quatro anos e meio. O bom desempenho foi sustentado principalmente pelas ações da Vale e da Petrobras.

“A Bolsa continua refletindo o otimismo dos investidores com o avanço do ajuste fiscal proposto pelo governo Temer”, avalia Ignacio Crespo, economista da Guide Investimentos.

Nos EUA e na Europa, alguns índices acionários foram pressionados pela divulgação de balanços mistos de empresas referentes ao terceiro trimestre. A perspectiva de alta dos juros americanos em dezembro também diminuiu o apetite dos investidores ao risco.
O Ibovespa abriu o pregão em baixa, mas inverteu o sinal e terminou com ganho de 0,42%, aos 64.108,08 pontos. É a maior pontuação desde 3 de abril de 2012 (64.284,26 pontos). Na semana, o índice acumulou valorização de 3,79%. O giro financeiro foi de R$ 7,9 bilhões.

Os papéis da Vale subiram 4,01%, a R$ 18,64 (PNA), e 4,24%, a R$ 19,91 (ON). Os investidores ainda reagiam ao aumento de 1,5% da produção de minério de ferro da companhia no terceiro trimestre, divulgada na quinta-feira.

O dólar voltou a ganhar força globalmente com o aumento das apostas de uma alta dos juros americanos em dezembro. No Brasil, o câmbio seguiu o cenário externo. Depois de ter caído 1% na véspera, para abaixo dos R$ 3,14, o dólar comercial encerrou o pregão em alta de 0,82%, a R$ 3,1640. Na semana, porém, a moeda americana acumulou queda de 1,28%.


 

Veja também

Open banking e Pix atrasam início da portabilidade de cheque especial
Economia

Open banking e Pix atrasam início da portabilidade de cheque especial

Ministro do STF propõe validar imposto sobre heranças transmitidas no exterior
impostos

Ministro do STF propõe validar imposto sobre heranças transmitidas no exterior