A-A+

Bolsonaro ameaça demitir Levy do BNDES e diz estar 'por aqui' com economista

Presidente disse que Levy 'está com a cabeça a prêmio há algum tempo'

Ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim LevyEx-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ameaçou demitir o presidente do BNDES, Joaquim Levy, mesmo sem a anuência do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Bolsonaro disse que Levy "está com a cabeça a prêmio há algum tempo". Clima teria piorado, segundo Bolsonaro, depois da intenção de Levy em nomear um executivo que trabalhou na gestão petista.

"Eu já estou por aqui com o [Joaquim] Levy. Falei pra ele demitir esse cara [Marcos Barbosa Pinto] na segunda-feira ou eu demito você, sem passar pelo Paulo Guedes", disse Bolsonaro diante do Palácio da Alvorada, no início da tarde deste sábado (15).

Barbosa Pinto foi assessor do BNDES no governo do PT e, segundo reportagem do jornal Valor Econômico, voltaria ao banco para o cargo de diretor de Mercado de Capitais do BNDES. Levado por Guedes para a presidência do BNDES durante a atual gestão, Levy foi ministro da Fazenda de Dilma Rousseff (PT).

Leia também:
Reduto da campanha de Bolsonaro vira palanque presidencial para Doria
Bolsonaro pede que população cobre senadores sobre decreto de armas 

O presidente disse que "governo é assim, não pode ter gente suspeita" em cargos importantes. "Essa pessoa, o Levy, já vem há algum tempo não sendo aquilo que foi combinado e aquilo que ele conhece a meu respeito. Ele está com a cabeça a prêmio já há algum tempo", disse.

Questionado se Levy já estaria demitido, Bolsonaro negou.

Na última semana, Bolsonaro afirmou que vai demitir o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por ele ter se comportado como "sindicalista".

Desagradou o presidente o fato de o general ter tirado foto com parlamentares de esquerda e de ter dito que não haverá privatização dos Correios, como é planejado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

Veja também

Com faturamento de R$ 41 bi, mercado pet já vende mais que linha branca
Economia

Com faturamento de R$ 41 bi, mercado pet já vende mais que linha branca

Agenda social ainda é pilar frágil no agro mesmo com avanços
Agronegócio

Agenda social ainda é pilar frágil no agro mesmo com avanços