Bolsonaro edita MP e livra policiais do DF de veto a reajuste a servidores

Com isso, a categoria deve ficar de fora do congelamento salarial de servidores defendido pelo ministro Paulo Guedes (Economia)

Jair BolsonaroJair Bolsonaro - Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou nesta terça-feira (26) uma Medida Provisória que garante reajuste para policiais do Distrito Federal, que são custeados pelo Tesouro Nacional. Com isso, a categoria deve ficar de fora do congelamento salarial de servidores defendido pelo ministro Paulo Guedes (Economia).

A assinatura da MP foi anunciada pelo vice-governador do DF, Paco Britto (Avante), que participou da cerimônia fechada no Palácio do Planalto. Também acompanharam o ato o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o ex-deputado Alberto Fraga (DEM-DF), um dos mais próximos aliados de Bolsonaro.

A publicação de uma medida concedendo o benefício aos policiais e bombeiros do DF vinha sendo negociada entre Bolsonaro e o governador Ibaneis Rocha (MDB) para ocorrer antes da sanção de um pacote de auxílio da União a estados e municípios.

Leia também:
Com salários congelados, servidores rechaçam rótulo de privilegiados
Com apoio de governadores, Bolsonaro defende congelar salários de servidores e garante socorro aos estados


Isso porque o pacote federativo deverá vir com um veto que barra reajustes e novas contratações permanentes de servidores até o final de ano que vem.

O aumento aos policiais e bombeiros do DF foi autorizado por um projeto de lei votado em 13 de maio pelo Congresso Nacional.

A proposta alterou a lei orçamentária de 2020, prevendo o pagamento aos profissionais retroativo a janeiro deste ano.

O texto permite aumento de 8% para policiais civis do Distrito Federal e de 25% para policiais militares e para os bombeiros do DF. A previsão feita no período de votação do projeto era de um impacto de quase R$ 505 milhões.

Nesta terça no Planalto, o vice-governador Britto confirmou os valores que constavam na autorização, mas argumentou que o reajuste médio para os policiais civis e militares, além dos bombeiros, será de 8%.

Em uma rápida coletiva de imprensa após a cerimônia, Britto evitou chamar a MP de reajuste e disse que se trata, na verdade, de uma "recomposição".

"Não estamos falando de um reajuste, estamos falando de uma recomposição de anos atrás, igual aconteceu com os outros ex-territórios".

De acordo com ele, os policiais dos ex-territórios -e hoje estados- de Rondônia, Roraima e Amapá também foram incluídos na MP.

"Foi uma correção para a melhor polícia do país. Equiparação do salário, não foi um aumento, que o presidente da República e o Congresso fizeram e aprovaram. Reconhecendo o DF como a melhor polícia militar do país e a melhor polícia civil", disse o vice-governador.

Veja também

Bolsa fecha acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro
Economia

Bolsa fecha acima dos 120 mil pontos pela primeira vez desde fevereiro

Dólar fecha abaixo de R$ 5,70 com alívio no exterior
Economia

Dólar fecha abaixo de R$ 5,70 com alívio no exterior