Economia

Bovespa tem queda de 2,62%

Bolsa brasileira fechou com desvalorização de 2,62%, para 64.301 pontos

A preocupação dos investidores com os primeiros atos do governo de Donald Trump e uma realização de lucros após seguidas altas na semana passada fizeram o Ibovespa registrar, ontem, a maior queda diária em quase dois meses. A Bolsa brasileira fechou com desvalorização de 2,62%, para 64.301 pontos. Foi a maior queda diária desde 1º de dezembro, quando o Ibovespa recuou 3,88%. O volume financeiro negociado foi de R$ 5,7 bilhões, abaixo da média diária de janeiro, que é de R$ 6,96 bilhões - parte da diminuição da liquidez pode ser atribuída ao fechamento dos mercados chineses devido ao período do Ano Novo Lunar.

O mercado acionário brasileiro foi contaminado pelo mau humor provocado pelas medidas de Trump contra refugiados e imigrantes, que aumentaram a aversão ao risco. Pelos mesmos motivos, Wall Street, nos Estados Unidos, fechou em baixa, na maior queda do ano. O índice Dow Jones caiu 0,61%.

Os papéis da Petrobras fecharam em baixa de cerca de 5%, em dia de queda nos preços do petróleo no exterior. A mineradora Vale também teve forte queda em seus papéis preferenciais, que recuaram 5,17%, para R$ 30,44. As ações ordinárias caíram 4,30%, para R$ 32,25.

Em dia de formação de ptax, taxa que serve como referência para a maioria dos contratos de câmbio, o dólar fechou em queda em relação ao real. O dólar à vista recuou 1,17%, para R$ 3,116, menor patamar desde 25 de outubro do ano passado. O dólar comercial caiu 0,76%, para R$ 3,129.

Veja também

Agências do Trabalho de Pernambuco têm 533 vagas de emprego nesta segunda-feira (16)
Concursos e Empregos

Agências do Trabalho de Pernambuco têm 533 vagas de emprego nesta segunda-feira (16)

Mega-Sena acumula e próximo prêmio deve pagar R$ 45 milhões
Prêmio

Mega-Sena acumula e próximo prêmio deve pagar R$ 45 milhões