Brasil e Paraguai cancelam acordo sobre Itaipu e impeachment perde força

O cancelamento causou reação imediata no processo de julgamento político que o Congresso começou a preparar, numa sessão extraordinária que teve início às 10h

A usina de Itaipu é a segunda maior hidrelétrica do mundoA usina de Itaipu é a segunda maior hidrelétrica do mundo - Foto: Caio Coronel/Itaipu

Um documento que cancela o acordo bilateral favorecendo o Brasil na contratação da energia de Itaipu foi assinado no final da manhã desta quinta-feira (1º) pelo embaixador brasileiro no Paraguai, Carlos Simas Magalhães, na sede do Ministério de Relações Exteriores, em Assunção.

O cancelamento causou reação imediata no processo de julgamento político que o Congresso começou a preparar, numa sessão extraordinária que teve início às 10h. O grupo de senadores comandados pelo ex-presidente Horacio Cartes, o Honor Colorado, retirou seu apoio ao impeachment.

A oposição havia anunciado nesta quarta-feira (31) que entraria com um pedido de impeachment contra Abdo, por conta da reação contra um acordo energético assinado com o Brasil e que estabelecia um cronograma para a compra de energia gerada pela hidrelétrica binacional Itaipu até o ano de 2022.

O acordo, que foi suspenso nesta quinta, elevaria os custos para a empresa estatal de eletricidade do Paraguai em mais de US$ 200 milhões.Enquanto isso, no Palácio de los López, o presidente Mario Abdo Benítez e quase todo seu gabinete de ministros continuavam reunidos preparando uma declaração à imprensa.

Antes dele, o chanceler Antonio Rivas Palacios deu uma declaração dizendo que "o documento assinado já está em mãos dos técnicos para tratamento de todos os temas e as negociações voltam à página zero."

Leia também:
Chanceler paraguaio renuncia após acordo polêmico com Brasil sobre Itaipu
Itamaraty afirma que acompanha 'com grande atenção' crise no Paraguai


A ameaça do julgamento político do presidente e seu vice, porém, segue. O senador Eusebio Ramon Ayala, do PLRA, disse que "ainda há muito o que explicar, especialmente se o presidente tiver sido salvo por Bolsonaro, vamos querer saber em troca de que", disse a jornalistas.

O governo brasileiro soltou uma nota nesta manhã, defendendo Abdo e ressaltando a "excelente relação pessoal" entre os dois presidentes.

Entenda o caso

26.fev O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, toma posse e afirma querer trabalhar por uma tarifa de luz mais baixa
11.mar O ministro da Fazenda do Paraguai, Benigno López, diz esperar que as conversas acerca da renegociação do tratado de energia da hidrelétrica de Itaipu deem origem a um acordo justo e rápido
12.mar O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, se encontra com Jair Bolsonaro para discutir a revisão de cláusulas financeiras
Maio Ata com termos negociados é assinada, mas não é divulgada publicamente
24.jul Pedro Ferreira, presidente da Administração Nacional de Eletricidade (Ande), renuncia após discordar dos termos e se recusar a assinar acordo
29.jul O chanceler Alberto Castiglioni e outras altas autoridades do governo paraguaio renunciam
31.jul Antonio Rivas assume a Chancelaria paraguaia com a missão de resolver a crise com o Brasil; partidos de oposição anunciam pedido de impeachment contra Abdo Benítez e Velázquez
2.ago Deve desembarcar no Brasil uma delegação paraguaia para pedir que o Brasil anule os termos da ata diplomática

Veja também

Dólar fecha em R$ 5,37 e tem maior queda em uma semana
BOLSA DE VALORES

Dólar fecha em R$ 5,37 e tem maior queda em uma semana

Governo celebra 20 anos de fundo que pode ser extinto por Guedes
fundos

Governo celebra 20 anos de fundo que pode ser extinto por Guedes