Cade aprova compra da Itambé pelo grupo francês Lactalis

A operação, porém, passa por questionamento judicial por parte da Vigor, que era dona de 50% da Itambé até o início de dezembro

Multinacional francesa de produtos lácteos LactalisMultinacional francesa de produtos lácteos Lactalis - Foto: Damien Meyer / AFP

A compra da Itambé pela francesa Lactalis foi aprovada sem restrições pela superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (30).

O laticínio mineiro, que pertencia à Cooperativa de Produtores de Leite de Minas Gerais (CCPR), foi vendido ao grupo francês em dezembro. O valor da transação não foi divulgado, mas estima-se que seja de cerca de R$ 2 bilhões -acima dos R$ 1,4 bilhão oferecidos pelos mexicanos da Lala, que também tentavam comprar a Itambé.

Leia também:
Produtos contaminados não foram vendidos no Brasil, diz Lactalis

A operação, porém, passa por questionamento judicial por parte da Vigor, que era dona de 50% da Itambé até o início de dezembro, quando a CCPR exerceu seu direito de preferência de compra e ficou com 100% do laticínio mineiro -o que foi feito com aprovação do Cade.

No dia seguinte à aquisição dos 50%, porém, a CCPR anunciou o acordo de venda da totalidade da Itambé para a francesa Lactalis, uma movimentação que a Vigor considerou como violação do acordo de acionistas, conforme o pedido de liminar aceito pelo juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, da 1ª Vara Empresarial de São Paulo, duas semanas após o anúncio.

A CCPR recorreu, mas a decisão liminar de suspensão da venda foi mantida pelo desembargados do Tribunal de Justiça paulista. A Vigor havia entrado como terceiro interessado no processo do Cade.

Veja também

Justiça decreta falência da Avianca Brasil
aviação

Justiça decreta falência da Avianca Brasil

Bolsa se recupera e fecha no maior nível em quatro meses
BOLSA DE VALORES

Bolsa se recupera e fecha no maior nível em quatro meses