Cade aprova compra da Itambé pelo grupo francês Lactalis

A operação, porém, passa por questionamento judicial por parte da Vigor, que era dona de 50% da Itambé até o início de dezembro

Multinacional francesa de produtos lácteos LactalisMultinacional francesa de produtos lácteos Lactalis - Foto: Damien Meyer / AFP

A compra da Itambé pela francesa Lactalis foi aprovada sem restrições pela superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (30).

O laticínio mineiro, que pertencia à Cooperativa de Produtores de Leite de Minas Gerais (CCPR), foi vendido ao grupo francês em dezembro. O valor da transação não foi divulgado, mas estima-se que seja de cerca de R$ 2 bilhões -acima dos R$ 1,4 bilhão oferecidos pelos mexicanos da Lala, que também tentavam comprar a Itambé.

Leia também:
Produtos contaminados não foram vendidos no Brasil, diz Lactalis

A operação, porém, passa por questionamento judicial por parte da Vigor, que era dona de 50% da Itambé até o início de dezembro, quando a CCPR exerceu seu direito de preferência de compra e ficou com 100% do laticínio mineiro -o que foi feito com aprovação do Cade.

No dia seguinte à aquisição dos 50%, porém, a CCPR anunciou o acordo de venda da totalidade da Itambé para a francesa Lactalis, uma movimentação que a Vigor considerou como violação do acordo de acionistas, conforme o pedido de liminar aceito pelo juiz Luis Felipe Ferrari Bedendi, da 1ª Vara Empresarial de São Paulo, duas semanas após o anúncio.

A CCPR recorreu, mas a decisão liminar de suspensão da venda foi mantida pelo desembargados do Tribunal de Justiça paulista. A Vigor havia entrado como terceiro interessado no processo do Cade.

Veja também

Aneel mantém tarifa de bandeira amarela para março
Energia

Aneel mantém tarifa de bandeira amarela para março

Dólar fecha a R$ 5,60 e sobe 2,39% em fevereiro
Câmbio

Dólar fecha a R$ 5,60 e sobe 2,39% em fevereiro