Cai déficit nas contas externas

No acumulado do ano até setembro, o déficit ficou em US$ 13,6 bilhões, redução superior a 70% na comparação ao número do mesmo período de 2015 (US$ 49,214 bilhões)

Jayme Asfora é vereador do Recife pelo PMDBJayme Asfora é vereador do Recife pelo PMDB - Foto: Arthur Mota/Folha PE

 

O déficit das contas externas do Brasil deve fechar 2016 em torno de 1% do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas produzidas pelo Brasil. O resultado, que consta em levantamento divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), está em nível inferior à média histórica do País, que é de 1,8% do PIB.

De acordo com a Carta de Conjuntura, documento produzido pelo Ipea que avalia dados econômicos divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as contas externas brasileiras “permanecem em uma trajetória de ajuste, com expressiva redução do déficit em transações correntes”.
No acumulado do ano até setembro, o déficit ficou em US$ 13,6 bilhões, redução superior a 70% na comparação ao número do mesmo período de 2015 (US$ 49,214 bilhões). “Na verdade, não é exagero afirmar que o País já ‘completou’ o ajuste de suas contas externas, no sentido em que o déficit em transações correntes já atingiu nível inferior à sua média histórica”, diz o autor do estudo, o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea Fernando Ribeiro.
Segundo ele, a queda do déficit pode ser explicada, principalmente, pelo aumento do superávit comercial. “Com efeito, a balança comercial brasileira vem registrando, desde o final de 2015, superávits comerciais bastante robustos, da ordem de US$ 3 bilhões a US$ 5 bilhões ao mês, e, no acumulado de janeiro a outubro, o superávit alcançou US$ 38,5 bilhões, três vezes mais que o número dos primeiros dez meses de 2015”, diz trecho do levantamento. A queda “extraordinária” das importações, segundo o Ipea, é um dos fatores para a melhoria da balança comercial.

 

Veja também

País só voltará a ter superávit primário em 2027, projeta ministério
economia

País só voltará a ter superávit primário em 2027, projeta ministério

INSS paga atrasados da revisão do auxílio-doença nesta semana
inss

INSS paga atrasados da revisão do auxílio-doença nesta semana