Minha Casa, Minha Vida

Caixa começa a financiar imóveis do Minha Casa, Minha Vida de até R$ 350 mil na próxima semana

Teto do programa, para faixa mais alta de renda, subiu no último dia 20

Prédios do Minha Casa Minha Vida em Niterói Prédios do Minha Casa Minha Vida em Niterói  - Foto: Antônio Scorza

A Caixa Econômica Federal vai começa a financiar imóveis de até R$ 350 mil dentro do Minha Casa, Minha Vida no próximo dia 7. O aumento do teto de valores do programa, antes de R$ 264 mil, subiu na última semana, após aprovação do Conselho Curador do Fundo de Garantia (FGTS). A medida vale em todo o país para famílias enquadradas na Faixa 3, com renda entre R$ 4,4 mil e R$ 8 mil.

A partir da próxima semana, passa a valer também o novo limite de valor do imóvel nas menores faixas de renda – Faixa 1, até R$ 2.640, e Faixa 2, até R$ 4.400 –, que subiu de R$ 145 mil, para municípios com até cem mil habitantes, para R$ 190 mil e R$ 264 mil, nos demais.

Além disso, o subsídio — valor pago pelo governo para complementação da compra do imóvel pelo programa — aumentou. O valor máximo, que antes chegava a R$ 47.500, agora é de R$ 55 mil, de acordo com fatores populacionais, sociais e de renda.

Esse valor funciona como um desconto, de acordo com a renda da família e a localização do imóvel. Quanto menor a renda, maior o subsídio. Neste ano, o FGTS reservou para a concessão de subsídios R$ 9,5 bilhões. O orçamento também destinou R$ 66 bilhões para financiamentos habitacionais às famílias com capacidade de pagamento.

Juros de até 8,16%
O financiamento pode ser contratado nas agências do banco estatal e também correspondentes. Nas novas condições do programa, as taxas de juros (ao ano) oferecidas para famílias com renda de até R$ 2 mil variam de 4% a 4,75%. O índice oscila de acordo com a região do país e se o comprador é ou não cotista do FGTS. Veja:

Faixa 1
Renda familiar bruta mensal de até R$ 2 mil:

Cotista do FGTS: 4% no Norte e Nordeste e de 4,25% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Não cotista: 4,50% no Norte e Nordeste e de 4,75% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Renda familiar bruta mensal de R$ 2.000,01 a R$ 2.640,00:

Cotista do FGTS: 4,25% no Norte e Nordeste e de 4,50% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Não cotista: 4,75% no Norte e Nordeste e de 5% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Faixa 2
Renda familiar bruta mensal de R$ 2.640,01 a R$ 3.200:

Cotista do FGTS: 4,75% no Norte e Nordeste e de 5% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Não cotista: 5,25% no Norte e Nordeste e de 5,50% no Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Renda familiar bruta mensal de R$ 3.200,01 a R$ 3.800:

Cotista do FGTS: 5,50% em todo o país

Não cotista: 6,00% em todo o país

Renda familiar bruta mensal de R$ 3.800,01 a R$ 4.400:

Cotista do FGTS: 6,50% em todo o país

Não cotista: 7% em todo o país

Faixa 3
Renda familiar bruta mensal de R$ 4.400,01 a R$ 8.000:

Cotista do FGTS: 7,66% em todo o país

Não cotista: 8,16% em todo o país

Veja também

Minha Casa, Minha Vida: governo vai limitar a 25% recursos para imóveis usados
Brasil

Minha Casa, Minha Vida: governo vai limitar a 25% recursos para imóveis usados

Caixa começa a pagar nesta quinta-feira (18) o Bolsa Família de julho
BOLSA FAMÍLIA

Caixa começa a pagar nesta quinta-feira (18) o Bolsa Família de julho

Newsletter