Capitalização vai ao Congresso nas próximas semanas, diz Onyx

Segundo ele, o projeto trará todo o detalhamento do modelo, que é uma espécie de poupança individual para que cada trabalhador financie a própria aposentadoria

Ministro da Casa Civil, Onyx LorenzoniMinistro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni - Foto: Romério Cunha/Flickr

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou neste sábado (10) que o governo enviará ao Congresso nas próximas semanas uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para criar um regime previdenciário de capitalização.

Segundo ele, o projeto trará todo o detalhamento do modelo, que é uma espécie de poupança individual para que cada trabalhador financie a própria aposentadoria.
O governo chegou a incluir na reforma da Previdência que tramita no Congresso uma autorização para que a capitalização fosse criada, mas esse trecho foi eliminado do texto pelos parlamentares. "Lá [na proposta de reforma] estava apenas a autorização para fazer a capitalização. Agora virá uma PEC com todo o detalhamento", disse.

Leia também:
Modelo de capitalização da Eletrobras será apresentado até agosto
Bolsonaro minimiza retirada da capitalização da reforma da Previdência
Maia e relator da Previdência dizem que capitalização deve ser excluída da reforma
Secretário de Previdência contesta capitalização sem ajuste nas contas públicas


O fato de a reforma da Previdência trazer apenas a autorização para criar o sistema sem nenhum detalhe de como funcionaria gerou críticas no Congresso. "[Agora] virá numa PEC especial com todo o detalhamento, porque ali está o futuro do Brasil, não apenas na questão previdenciária, mas preponderantemente como instrumento e alavanca para levantar a poupança interna e trazer a libertação do Brasil do capital externo", disse.

Lorenzoni disse que a equipe técnica do Ministério da Economia ainda trabalha na elaboração do texto e defendeu que o modelo preveja contribuição patronal, e não só contribuições do trabalhador. O ministro afirmou ainda que o governo não deve esperar a conclusão da votação da reforma da Previdência no Senado para que a proposta de capitalização seja apresentada.

No mês passado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que mantinha a esperança de implementar no Brasil um regime de capitalização. Hoje, o sistema no país é o de repartição. Nele, os trabalhadores da ativa pagam os benefícios dos aposentados e pensionistas. "Sobre a Previdência, eu tenho dito que o sistema de repartição é um sistema condenado, nós gostaríamos de mudar o eixo em direção a um sistema de capitalização, que colocará o Brasil para crescer", disse, à época. Segundo Guedes, o sistema de repartição está condenado a entrar em colapso no futuro.

Veja também

UE adota cautela sobre levantamento de patentes e defende exportações
PANDEMIA

UE adota cautela sobre levantamento de patentes e defende exportações

Imposto de Renda: 14 milhões de pessoas ainda não enviaram declaração
Receita Federal

IR: 14 milhões de pessoas ainda não enviaram declaração