BRASIL

Censo: qual o nome mais registrado no Brasil? É possível consultar no IBGE; saiba como

De "Maria" a "Mavie", há registros de mais de 130 mil nomes diferentes

Morte de bebê de 11 meses de Covid-19 foi registrada no boletim da SES-PEMorte de bebê de 11 meses de Covid-19 foi registrada no boletim da SES-PE - Foto: Unsplash

Os primeiros dados do Censo 2022 serão divulgados nesta quarta-feira (28), após dois anos de atraso por conta da pandemia de Covid-19, que dificultou a coleta de dados nas residências. Agora, uma nova “radiografia” do Brasil foi feita, revelando uma série de dados sobre a nação com a sétima maior população do mundo: mais de 216 milhões de habitantes.

O site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatístitca (IBGE) permite uma série de consultas sobre dados dos nomes mais comuns no Brasil. A página permite pesquisar qualquer nome e ver a quantidade de registros que foram feitos com ele até a década de 1930 e, em seguida, dividido a cada dez anos — até 2010. Há também uma ferramenta de divisão por estados. Os dados podem ser consultados aqui.

Segundo o último censo realizado no país, em 2010, há registros de mais de 130 mil nomes diferentes. “Maria”, com 11.734.129 batismos, é o nome mais comum no Brasil. “José” vem logo em seguida, com 5.754.529 registros. “Ana” tem 3.089.858 e fecha o pódio.

Há uma série de curiosidades na lista, como, com ambos no “top-20”, os nomes “Luiz” e “Luis” sendo dados a mais de dois milhões de pessoas. A ferramenta de busca de nomes do IBGE, porém, só mostra o número de registros caso haja mais de 20 pessoas com o nome. Com isso, a quantidade de pessoas com nomes como “Mavie” (filha de Neymar com Bruna Biancardi) não pode ser consultado.
 

Outro nome que chamou a atenção recentemente foi o do filho do cantor Seu Jorge com a terapeuta holística Karina Barbieri: Samba. Já a cantora Simone Mendes tinha o desejo de batizar a filha como Zara. Mas o marido dela, o empresário Kaká Diniz, não gostava do nome e preferia Maya. A solução foi encontrada no meio do caminho entre os dois termos. "Kaká queria um nome, eu queria outro... O nome, no fim, é uma mistura", explica a artista. Assim, portanto, surgiu Zaya (Maya + Zara), filha de ambos, hoje com 2 anos.

Nome do caçula do modelo Paulo Zulu, Kiron remete à figura mitológica do Quíron, um centauro considerado superior pelo próprio pai, Cronos, deus do tempo. A criança — fruto do relacionamento com a também modelo Elaine Quisinski — tem 1 ano de idade. Para Samba, Zara e Kiron, não há informações no site do IBGE.

Já "Lua", nome da filha de dos ex-BBBs Viih Tube e Eliezer, tem 2.542 registros, mais do que os 222 "Uri", nome do filho do casal de atores Letícia Colin e Michel Melamed (que é judeu) e que faz referência a um nome bíblico. Para o nome Ilha, filha de Maurício Mattar com Shay Dufau, há apenas 124 registros. Ayra, nome escolhido por Malvino Salvador e Kyra Gracie para a filha, tem 695.

No ano passado, segundo o Portal da Transparência de Registro Civil, “Miguel” foi o nome mais registrado no país: 26.941. “Gael” vem em seguida, com 25.252 registros, seguido por “Arthur”, com 23.816.

Entre as mulheres, “Maria Alice”, com 24.477 registros, superou “Helena”, que teve 22.606 e que liderava o ranking anual desde 2017 — o aumento acentuado seria resultado da influência da escolha do nome para uma das filhas de Virgína Fonseca e Zé Felipe. “Alice” ficou em terceiro, com 20.738 registros.

Veja também

Alckmin destaca investimento de R$ 2 bilhões anunciado pela Scania
Alckmin

Alckmin destaca investimento de R$ 2 bilhões anunciado pela Scania

Lula: Não tenho medo de reitor; quero ter relação mais democrática possível
Lula

Lula: Não tenho medo de reitor; quero ter relação mais democrática possível

Newsletter