Centauro fecha compra da Nike no Brasil por R$ 900 milhões

Na operação, a varejista fica com o capital de giro e o estoque da Nike no país, mas não leva determinados ativos, como direitos sobre propriedades intelectual

NikeNike - Foto: Reprodução/Nike

A Centauro anunciou nesta quinta-feira (6) a compra da Nike no Brasil por cerca de R$ 900 milhões, informou a companhia em comunicado ao mercado. A operação depende de aval do  Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Na operação, a varejista fica com o capital de giro e o estoque da Nike no país, mas não leva determinados ativos, como direitos sobre propriedades intelectual. O grupo será o distribuidor exclusivo dos produtos Nike -incluindo vestuário, calçados, acessórios e equipamentos- e operador direto exclusivo do canal de venda eletrônico varejista por um período inicial de dez anos.

Por um período inicial de cinco anos, a Centauro também terá o controle das lojas físicas, podendo abrir e operar lojas Nike por todo o Brasil.

Leia também:
Centauro eleva a US$ 109 milhões oferta pela Netshoes
Nike deixa de vender seus produtos na Amazon


Em comunicado ao mercado, o grupo SBF, que controla a Centauro, afirma que a Nike do Brasil é responsável pelo comércio atacadista de produtos da marca no país.

O grupo afirmou que pagará parte da operação com recursos próprios e que negocia com os bancos Santander, Itaú BBA e Bradesco BBI a estrutura de financiamento.

"Após o cumprimento de referidas condições ao fechamento, e concomitantemente à consumação da Compra de Quotas, a Nike do Brasil celebrará com a Nike o Contrato de Distribuição, Master Store Agreement, Contrato de Licença de Marca, Contrato de Serviços de Assessoria e Consultoria de Marketing e outros contratos auxiliares."

Veja também

Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
REAÇÃO

Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central

Bolsas mundiais estão em plena forma, apesar da crise sanitária
ECONOMIA

Bolsas mundiais estão em plena forma, apesar da crise sanitária