Central de Doações de Pernambuco contabiliza 950 mil itens arrecadados por empresas do Estado

Do total arrecadado, 250 mil itens são de produtos hospitalares; 96 mil mercadorias de gêneros alimentícios; 426 mil itens de higiene e limpeza, além de outros 178 mil itens diversos

Os itens estão sendo entregues aos hospitais estaduais e a pessoas carentesOs itens estão sendo entregues aos hospitais estaduais e a pessoas carentes - Foto: Divulgação / Governo de Pernambuco

Durante o período de pandemia do novo coronavírus, a Central de Doações Remota, implantada pelo Governo de Pernambuco, já contabiliza 950 mil itens arrecadados. As doações, coordenadas remotamente por colaboradores da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (AD Diper), estatal ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (SDEC), foram recebidas de empresas privadas de pequeno, médio e grande porte. 

Do total arrecadado, 250 mil itens são de produtos hospitalares; 96 mil mercadorias de gêneros alimentícios; 426 mil itens de higiene e limpeza, além de outros 178 mil itens diversos, materiais que chegam ao grande público por meio do trabalho de logística realizado pelas Secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude.

“Sem a ajuda dessas empresas, o cotidiano dos trabalhadores das categorias que prestam serviços fundamentais no Governo e dos profissionais que estão no combate direto a Covid-19, seria ainda mais difícil. Quero deixar registrado nosso agradecimento à todas as empresas que doaram parte do seu estoque para uma ação tão importante”, ressalta o presidente da AD Diper, Roberto Abreu e Lima.

Leia também:
OMS cria fundação para receber doações de entes privados
Central de doações remota auxiliará no combate ao coronavírus
Doações de políticos para combate ao coronavírus entram na mira da Justiça


Entre as empresas doadoras está a Unilever, que repassou para a Central mais de 387 mil itens. Em 20 de maio, a Central recebeu 39 ventiladores mecânicos BIPAP, utilizados na ventilação não invasiva de pacientes. Os itens foram distribuídos para hospitais estaduais.

O Aché Laboratórios Farmacêuticos também contribuiu para a causa, entregando 112 mil unidades de medicamentos. Já a Solar Coca-Cola destinou 126 mil unidades de garrafas pet para envasar álcool 70% em gel e líquido e 24 mil garrafas com água mineral. A empresa Alpargatas doou 80 mil máscaras, entre cirúrgicas e N95. A Ambev repassou 10 toneladas de mandioca.

Um total de 10,8 mil unidades de máscaras e 16,4 mil unidades de luvas de procedimento foram disponibilizadas pela Associação dos Procuradores do Estado de Pernambuco e pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene), que também contribuiu com cinco mil toucas descartáveis e cinco mil sapatilhas Propé.

O Grupo Moura doou 20 mil máscaras de proteção facial. Já a Esposende Calçados repassou 48 mil pares de meia. Da Ondunorte, foram doadas 19,2 mil unidades de papel higiênico. Da Asa Indústria e Comércio, 20 mil unidades de sabão em barra bactericida.

Além dos produtos de limpeza, a Central contabilizou o repasse de 63,2 mil litros de produtos sanitizantes. Entre as contribuições estão 21,4 mil litros de álcool 70% (gel e líquido) repassados por empresas como Ambev, Benzoquímica, Aquaflex, Guararapes, Infa Cosméticos, Total Clean, Hebron, Cervejaria Capunga, Cervejaria Ekaut, Conselho Regional de Química, Quimilab e Audace. Já o grupo Raymundo da Fonte doou 36 mil litros de água sanitária. Outros 5,8 mil litros de itens sanitizantes foram doados pela Unilever.

Como doar
Para participar da corrente de doações, as empresas interessadas em enviar contribuições podem contatar a AD Diper pelo e-mail [email protected] ou pelos telefones (81) 9.9488- 2149 / (81) 9.9488-3777. As doações são diversas e os entre os produtos de mais necessidades estão os insumos e EPIs, como máscaras, álcool 70% gel e líquido, além de produtos de limpeza.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Agricultores familiares do Agreste recebem sementes de milho, sorgo e feijão
Agreste

Agricultores familiares recebem sementes de milho, sorgo e feijão

Bolsonaro: multa para discriminação salarial pode tornar emprego para mulheres 'quase impossível'
PARIDADE SALARIAL

Bolsonaro: multa para discriminação salarial pode tornar emprego para mulheres 'quase impossível'