Black Friday

Cerca de 50% dos pernambucanos pretendem comprar na Black Friday

Número é considerado positivo e aumenta a expectativa dos varejistas com relação à data

Pernambucanos pretendem consumir na Black FridayPernambucanos pretendem consumir na Black Friday - Foto: Rafael Furtado/ Folha de Pernambuco/Arquivo

A Black Friday, tradicional evento de promoção dos Estados Unidos, caiu de vez no gosto dos pernambucanos. De acordo com levantamento realizado entre os dias 18 e 19 de novembro, 49,7% dos consumidores do estado pretendem comprar algo na sexta-feira (27). A pesquisa foi realizada de forma inédita pela Fecomércio-PE, realizada através do Instituto Oscar Amorim de Desenvolvimento Econômico e Social (Instituto Fecomércio-PE) e em parceria com o Sebrae/PE. Os dados foram obtidos após entrevista com 918 pessoas.

Segundo o economista da Fecomércio-PE, Rafael Ramos, o resultado era o esperado devido a conjuntura da economia do estado. “Apesar de o segundo semestre ser melhor que o primeiro, a situação ainda não é a ideal. Mas a pesquisa já mostra o aumento na intenção de consumo quando comparamos ao Dia das Crianças, levantamento imediatamente interior a esse. O índice foi de 38,5% para 49,7%, ou seja, sendo positivo”, comenta.

Pela Black Friday ser muito ligada ao comércio online, a expectativa pela data é ainda mais positiva porque muitas pessoas tiveram que aprender a utilizar o ambiente virtual durante o isolamento social. Apesar disso, uma parcela da população ainda tem receio de comprar no e-commerce. Outro ponto observado pela pesquisa como fator de restrição nas intenções dos pernambucanos são as dúvidas dos consumidores a respeito da credibilidade da data, devido principalmente à maquiagem de preços ocorrida nos primeiros anos.

Atestando o ambiente digital como característico da data, a pesquisa mostrou que o comércio eletrônico é o meio com maior intenção de consumo entre os pernambucos para a promoção (53,5%). Os demais canais também apresentaram percentual significativo de participação, com o comércio de rua e o de shopping alcançando 27,4% e 18,9%, respectivamente.

Entre os que pretendem comemorar a data, a maioria é do sexo masculino (55,0%) e com idade entre 18 e 29 anos (54,4%). Quanto mais se avança na faixa etária, menor é a intenção da população em comprar no período da Black Friday, com os mais velhos (maior que 60 anos) atingindo 37,8% de interesse em comprar. “Aqui cabe novamente a questão do consumo pela internet, que faz com que as pessoas mais novas tenham a maior adesão à data. As pessoas acima de 60 anos, como não têm muita familiaridade com o digital, acabam ficando receosas em comprar virtualmente”, analisa Rafael Ramos.

Os itens mais citados na pesquisa foram as roupas e os sapatos, com 18,4%, seguidos pelos equipamentos eletrônicos, celulares, tablets e utensílios domésticos. O método de pagamento será, em sua maioria, pelo cartão de crédito, com os consumidores pretendendo gastar até R$ 150. Segundo Rafael Ramos, a intenção de compra no cartão reflete a redução dos auxílios emergenciais disponibilizados pelo Governo Federal, com as famílias dispondo de um orçamento mais apertado e impossibilitando o consumo à vista.

Já os que não pretendem consumir na Black Friday apresentaram dois principais motivos para isso: estão sem ou pouco dinheiro (32,5%) e consideram que os preços estão elevados (20,9%). O isolamento social foi percentualmente o menos apontado, alcançando 9,2% das respostas. 

Veja também

Justiça suspende pagamento do IPVA 2021 para pessoas com deficiência em SP
São Paulo

Justiça suspende pagamento do IPVA 2021 para pessoas com deficiência em SP

Celpe abre nova loja de atendimento para Jaboatão dos Guararapes e Zona Sul do Recife
Atendimento

Celpe abre nova loja de atendimento para Jaboatão dos Guararapes e Zona Sul do Recife