Economia

Cesta básica dispara na RMR; confira os preços nos estabelecimentos

Levantamento do Procon Pernambuco, em fevereiro, constatou que o aumento compromete quase 50% do salário mínimo

Cesta básica de fevereiro na Região Metropolitana do RecifeCesta básica de fevereiro na Região Metropolitana do Recife - Foto: Procon-PE/Divulgação

Por mais um mês, o valor da cesta básica aumenta na Região Metropolitana do Recife (RMR), afetando o bolso dos consumidores. De acordo com a pesquisa realizada pelo Procon-Pernambuco, no mês de fevereiro, o custo da cesta chegou a comprometer quase 50% do salário mínimo – o impacto exato foi de 48,40%. Por esse levantamento, que foi divulgado ontem, a cesta de fevereiro na RMR foi de R$ 586,61, um aumento percentual de 2,56% comparado ao mês de janeiro, quando a feira básica registrou valor de R$ 571,94.

Esse impacto de 48,40% significa que o consumidor precisa utilizar quase metade de um salário mínimo, que está em R$ 1.212, para comprar a cesta básica do mês. Ou seja, é preciso comprometer R$ 586,61 do valor de R$ 1.212.

A pesquisa apresenta os nomes de estabelecimentos, os produtos da cesta e onde eles podem ser encontrados com menores e maiores preços. “Quando a gente faz um comparativo de um ano atrás, todos os meses observamos aumento no valor da cesta. Em fevereiro, a cesta comprometeu quase 50% do salário mínimo. Diante de uma situação econômica difícil, qualquer economia, principalmente de produtos que são indispensáveis – pois são sustento básico – pode ser aplicada para outras despesas”, analisou Danyelle Sena, gerente geral do Procon-PE.

Analise a pesquisa antes de ir às compras

Danyelle explica que pode haver grande diferença dos preços dos produtos em supermercados diferentes, por isso ela indica analisar a pesquisa completa antes de ir aos supermercados. Para se ter uma ideia, entre os itens que mais variaram está a salsicha, com uma diferença de 200% entre o menor e maior preço. O quilo do produto foi encontrado por R$ 7,66 em um local e R$ 22,98 em outro.

Em segundo lugar, estava o quilo da farinha de mandioca, com aumento de 179,64%, passando de R$ 2,75 em um estabelecimento para R$ 7,69 em outro. O feijão mulatinho ou carioca variou 80,16%, sendo encontrado com menor valor a R$ 4,99 e maior valor a R$ 8,99.

Economia faz diferença no orçamento doméstico

“Você tem um percentual de reajuste comparando um mês ao outro, mas também tem essa diferença dentro do mês mudando o estabelecimento. O que aparentemente pode parecer um desconto pequeno, no final faz diferença. Por isso é importante pesquisar os valores na tabela, porque uma economia de R$ 30, R$ 50, R$ 100 entre supermercados pode fazer diferença para pegar o valor e ajudar em outras despesas”, orientou a gerente do Procon-PE.

A pesquisa monitora, ao todo, 27 itens, sendo 19 de alimentação, quatro de limpeza doméstica e quatro de higiene pessoal. Os fiscais do órgão passam por 74 estabelecimentos, onde são comparados os valores, considerando as diferenças entre os estabelecimentos pesquisados e os maiores e menores valores encontrados. O levantamento é calculado com base em uma família de quatro pessoas.

Serviço

A pesquisa, com todos os produtos analisados, está acessível no site do Procon-PE. É possível analisar a tabela com os 27 itens.

 

Tabela com alguns itens do levantamento do Procon Pernambuco

 

Veja também

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos
custos

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos

Crédito rural do BB chega a R$ 254 bi no primeiro trimestre de 2022
AGRONEGÓCIO

Crédito rural do BB chega a R$ 254 bi no primeiro trimestre de 2022