Cesta de compras para renda mais baixa fica 0,25% mais barata

Habitação, transportes, saúde e cuidados pessoais registraram deflação no mês de novembro

SupermercadoSupermercado - Foto: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), que calcula o custo da cesta de compras para famílias com renda de até 2,5 salários mínimos, registrou deflação (queda de preços) de 0,25% em novembro deste ano. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), em outubro havia sido registrada inflação de 0,78%.

Em 12 meses, o IPC-C1 acumula taxa de 3,8%. As taxas ficaram abaixo das registradas pelo Índice de Preços ao Consumidor – Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que teve deflação de 0,17% em novembro e alta de preços de 4,24% em 12 meses.

Sete das oito classes de despesas componentes do índice apresentaram queda em suas taxas de variação de outubro para novembro. Três delas chegaram a registrar deflação neste mês: habitação (que caiu de -0,11% para -1,1%), transportes (de 0,71% para -0,42%), saúde e cuidados pessoais (de 0,38% para -0,17%).

Leia também:
Cesta básica sobe em 16 das 18 capitais pesquisadas pelo Dieese
Alimentos da cesta básica ficam mais caros pelo segundo mês seguido


Quatro classes tiveram queda na taxa, mas continuaram registrando inflação: alimentação (de 1,17% para 0,34%), vestuário (de 0,73% para 0,14%), educação, leitura e recreação (de 0,37% para 0,27%) e comunicação (de 0,12% para 0,07%). A única classe com alta na taxa foi a de despesas diversas (que subiu de -0,03% para 0,03%).

Veja também

Senado aprova texto-base de MP que aumenta tributação sobre bancos até o fim do ano
Tributação

Senado aprova texto-base de MP que aumenta tributação sobre bancos até o fim do ano

Governo finaliza reforma do IR sem cumprir promessa eleitoral de Bolsonaro
Imposto de renda

Governo finaliza reforma do IR sem cumprir promessa eleitoral de Bolsonaro