Mercado chinês

China avalia intervenção no mercado de carvão após aumento de preços

A segunda maior economia do mundo cresceu menos que o previsto no terceiro trimestre deste ano

Estação de geração de energia movida a carvão na ChinaEstação de geração de energia movida a carvão na China - Foto: Hector Retamal/AFP

O governo chinês está considerando intervir para frear o aumento do preço do carvão, que ameaça a segurança e o crescimento econômico do país, informou a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (CNDR).

"O atual aumento de preços se desviou completamente dos fundamentos de oferta e demanda", afirmou a CNDR após uma reunião com líderes industriais.

Os preços "subiram rapidamente e alcançaram altas históricas, aumentando os custos de produção e afetando negativamente o abastecimento de energia elétrica e calefação", completou a CNDR, que se comprometeu a levar os preços a "um nível razoável".

Em um comunicado publicado na internet, a CNDR advertiu que terá "tolerância zero" e que para manter a ordem no mercado castigará "severamente" ações como disseminar informação falsa ou conluio de preços.

A segunda maior economia do mundo cresceu menos que o previsto no terceiro trimestre em parte pelo efeito de uma crise energética, de acordo com dados oficiais, no momento em que apagões afetam a produção industrial.

A crise acontece no momento em que os preços mundiais de produtos básicos crescem com o aumento da demanda, após a retomada das atividades que permaneceram fechadas durante a pandemia.

Os problemas foram exacerbados pela decisão de Pequim de reduzir as emissões de carbono e a queda nas importações de carvão da Austrália por uma disputa política.

Quase 60% da economia chinesa depende do carvão e o país luta para reduzir a dependência, com o objetivo de alcançar a neutralidade de carbono até 2060.

Nos últimos meses, a China sofreu apagões generalizados que provocaram atrasaos na produção das fábricas.

As tentativas de conter os preços do carvão acontece com a aproximação do inverno, quando a população precisa do produto para sua calefação.

A China tem um estoque de 88 milhões de toneladas de carvão, suficiente para 16 dias, segundo a CNDR.

Veja também

Presidente do Senado quer votar projeto sobre preço de combustíveis Política

Presidente do Senado quer votar projeto sobre preço de combustíveis

Presidente do IBGE divulga informações sobre Censo 2022Economia

Presidente do IBGE divulga informações sobre Censo 2022