China suspenderá tarifas adicionais aos carros importados dos EUA

Pequim aumentou suas tarifas de 15% para 40% em represália à aplicação de novas tarifas alfandegárias sob produtos chineses importados para os Estados Unidos

Donald Trump (EUA) e Xi Jinping (China)Donald Trump (EUA) e Xi Jinping (China) - Foto: Nicolas Asfouri/AFP

A China vai suspender por três meses a partir de 1º de janeiro as tarifas adicionais impostas aos automóveis e peças de reposição importados dos Estados Unidos, no âmbito da trégua comercial decidida pelos dois países, anunciou nesta sexta-feira (14) o governo chinês.

Pequim aumentou suas tarifas de 15% para 40% em represália à aplicação de novas tarifas alfandegárias sob produtos chineses importados para os Estados Unidos num valor total de 50 bilhões de dólares.

"A suspensão das tarifas é uma medida concreta para aplicar o consenso alcançado pelos dois chefes de Estado", destaca um comunicado do Conselho de Estado, o gabinete ministerial chinês.



Leia também:
China segue como principal destino das exportações brasileiras em novembro
China aplicará imediatamente medidas comerciais de trégua prometidas a Trump
China aplicará imediatamente medidas comerciais de trégua prometidas a Trump

China
e Estados Unidos concordaram com uma trégua na guerra comercial iniciada há vários meses durante uma reunião de seus presidentes, Xi Jinping e Donald Trump, no dia 1 de dezembro durante cúpula do G20 em Buenos Aires.

Embora Pequim e Washington tenham apresentado explicações divergentes em um primeiro momento sobre o alcance de seu acordo, a China começou recentemente a confirmar as declarações da Casa Branca sobre as medidas que vai adotar.

Veja também

Procenge abre inscrições para curso online de formação de consultores
Tecnologia

Procenge abre inscrições para curso online de formação de consultores

Volkswagen perde metade do lucro em 2020 pela covid-19
Economia

Volkswagen perde metade do lucro em 2020 pela covid-19