Cidades reivindicam planos próprios de reabertura econômica

O Governo de Pernambuco apresentou um plano de reabertura, mas alguns municípios pretendem ter plano próprio

Prefeitura do Cabo de Santo AgostinhoPrefeitura do Cabo de Santo Agostinho - Foto: Divulgação

Após o anúncio, no início da semana, por parte do Governo do Estado, de um plano de retomada da economia e convivência com a Covid-19, diversos municípios já estudam e pleiteiam a adoção de planos próprios de reabertura das atividades econômicas - ou, até mesmo, já anunciaram a reabertura de setores que, de acordo com o plano estadual, não são prioritários.

Um exemplo é a cidade do Cabo de Santo Agostinho, na Região Metropolitana do Recife, que antecipou os feriados municipais e elaborou um plano próprio de reabertura do comércio, mesmo que ainda com restrições. Na cidade, os feriados de Corpus Cristhi, Santo Antônio e São João, respectivamente nos dias 11, 13 e 24, foram adiantados para os dias 1º, 2 e 3 de junho.

E, a partir de hoje, no Cabo, de acordo com o decreto 1905/2020, serão reabertos: comércio e serviços, salões de beleza e restaurantes, com horários de abertura e fechamento, compreendidos entre às 10h e às 18h. Já os shoppings do município, que devem manter os seus cinemas fechados, podem abrir às 12h e fechar até às 20h.

Leia também:
Petrolina inicia fiscalizações educativas após reabertura da economia
Veja o cronograma de reabertura das atividades


Além do Cabo de Santo Agostinho, os municípios de Petrolina, Jaboatão dos Guararapes e a Capital, Recife, também sinalizaram que vão seguir diretrizes próprias de abertura da economia. Estas iniciativas, porém, já foram questionadas pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

O Ministério emitiu ontem uma recomendação que proíbe prefeitos de flexibilizar medidas preconizadas, cabendo aos prefeitos apenas a prerrogativa de tornar mais restritivas as medidas concebidas pela União e pelo Estado de Pernambuco.

Na prática, ações como as do Cabo, que se afastam muito do que foi determinado pelo Estado no plano de convivência com a Covid-19, não só estão proibidas como são cabíveis de punição. “A adoção de qualquer medida legislativa pelos municípios que se afaste das diretrizes estabelecidas pela União e pelo Estado de Pernambuco configura violação ao pacto federativo e à divisão espacial do poder instrumentalizada na partilha constitucional de competências”, afirmou, em nota, o procurador-geral de Justiça do Estado, Francisco Dirceu Barros.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Caixa pode fazer novas antecipações de saques do auxílio emergencial
Pandemia

Caixa pode fazer novas antecipações de saques do auxílio emergencial

Conselho confirma general Silva e Luna na presidência da Petrobras
Direção

Conselho confirma general Silva e Luna na presidência da Petrobras