REDES SOCIAIS

Com a possível volta do Orkut, relembre outras redes sociais que desapareceram

MSN, Flogão e ICQ foram populares e chegaram ao fim com o surgimento de outros aplicativos

OrkutOrkut - Foto: Reprodução

Desativado desde 2014, o Orkut pode voltar a existir. A reativação do site oficial do Orkut aconteceu nesta quarta-feira com uma mensagem do fundador, o engenheiro de software Orkut Buyukkokten.

O criador da rede social relembrou o lançamento da plataforma há 17 anos, que alcançou mais de 300 milhões de usuários, e sem muitos detalhes afirmou estar "construindo algo novo". Num clima de nostalgia e empolgação entre ex-usuários, listamos outras redes sociais que foram extintas:

Encerrado em setembro de 2014, a rede social foi criada em 2004 e recebeu esse nome em homenagem ao seu criador, o engenheiro Orkut Buyukkokten. Mural de fotos, "scraps" ("recados", em português), depoimentos e comunidades - que eram grupos onde pessoas que tinham afinidades sobre determinados assuntos podiam conversar sobre o tema - são lembradas até hoje, como "Eu odeio acordar cedo", "Eu amo minha MÃE!" ou "Sou legal, não estou te dando mole" entre outras. Diferentemente do Instagram e do Facebook, no Orkut era possível saber quem visitou o seu perfil.

O bate-papo foi um dos mensageiros mais famosos do mundo e marcou a vida dos usuários no início dos anos 2000. O chat privado entre amigos, que era possível mudar a fonte das conversas, enviar winks e fazer a tela da outra pessoa tremer para chamar sua atenção marcou o programa, que chegou a ter mais de 60 milhões de pessoas cadastradas. O software foi encerrado em outubro de 2014, mas deixou boas lembranças. 

Outra rede social que também foi extinta e que era quase impossível imaginar a vida sem usá-la é o ICQ. O mensageiro criado em 1996, por uma empresa israelita chamada Mirabilis, fez muito sucesso na época da internet discada. Em 1998, o ICQ, que carregava na tradução da sigla “eu procuro você” (em inglês, “I seek you”) chegou a ter 20 milhões de contas cadastradas. Ele era uma espécie de programa que se instalava no computador e permitia encontrar pessoas e conversar com elas através de salas de bate-papo.
 

O baixo interesse na plataforma fez o Google+ ser encerrado sem comoção em abril de 2019. El foi lançado em 2011 para competir com o Facebook, no entanto, sem oferecer vantagens inovadoras. Além disso, os "círculos" fizeram que os adeptos da rede de Mark Zuckerberg continuassem onde já estavam acostumados.

Antes mesmo do Instagram, Facebook e do Orkut, as pessoas compartilhavam fotos por meio do Fotolog, que é uma rede social que valorizava o compartilhamento de imagens diversas, sem a necessidade dos textos que era a proposta dos blogs. No entanto, o volume de postagens era limitado. O site foi criado em 2002 e permitia apenas uma publicação por dia em seu plano gratuito.

O Flogão, serviço de compartilhamento de fotos que por muito tempo brigou com o extinto Fotolog, também encerrou as operações. O site foi criado em 2004, mesmo ano em que o Orkut surgiu. Nele, o usuário transferia fotos para o seu computador (geralmente, de uma câmera digital portátil), acessava o site, publicava uma foto com uma descrição e aguardava os comentários dos seus contatos.

Outras redes sociais foram surgindo com mais funcionalidades. Além disso, o layout da página não estava pronto para ser adaptado às telas dos smartphones. Assim, o Flogão encerrou sua atividade oficialmente em 2019.

Atualmente, as que dominam esse mercado são o Facebook, Twitter, Instagram e TikTok.

Veja também

Auxílio Reconstrução: governo suspeita de 300 mil fraudes em pedidos
BENEFÍCIO

Auxílio Reconstrução: governo suspeita de 300 mil fraudes em pedidos

Inscrição para concurso da Justiça Eleitoral termina na próxima quinta
CERTAME

Inscrição para concurso da Justiça Eleitoral termina na próxima quinta

Newsletter