Com primeira alta desde março, comércio cresce 0,1% em junho

No mês passado, o comércio havia recuado 0,1%, ficando próximo à estabilidade

Compras no comércioCompras no comércio - Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O volume de vendas do varejo brasileiro apresentou variação de 0,1% em junho, em comparação com maio, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (7). No mês passado, o comércio havia recuado 0,1%, ficando próximo à estabilidade. Na ocasião, das oito atividades pesquisadas pelo instituto, seis tiveram alta no período.

Em comparação com junho de 2018, o varejo recuou 0,3%, mas em 2019 o mês de junho teve dois dias úteis a menos. No acumulado do atual ano, o comércio avançou 0,6% e, nos últimos doze meses, passou de 1,3% em maio para 1,1% em junho.
Já a média móvel trimestral do varejo, entre abril, maio e junho, ficou em -0,1%, próximo à estabilidade, de acordo com o IBGE.

"Isso sinaliza perda de ritmo das vendas e permanece em trajetória descendente iniciada em fevereiro de 2019 (2,4%)", apontou o instituto.

Leia também:
Inflação para famílias de baixa renda sobe 0,43% em julho
Banco Central indica novo corte na taxa Selic
Caixa anuncia plano de vender ações do Banco do Brasil sob custódia do FI-FGTS

A variação de 0,1% de junho teve influência na estabilidade das vendas de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,0%) e outros artigos de uso pessoal e doméstico (0,1%).

Quatro atividades registraram quedas: combustíveis e lubrificantes (-1,4%), móveis e eletrodomésticos (-1,0%), equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-2,45) e livros, jornais, revistas e papelaria (-0,8%). Tecidos, vestuários e calçados (1,5%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosmético (0,3%) registraram avanço.

Veja também

Banco Central registra recorde de remessas de dólares para Brasil
Moeda

Banco Central registra recorde de remessas de dólares para Brasil

Bolsonaro se irrita com homem que pediu para baixar preço do arroz
Arroz

Bolsonaro se irrita com homem que pediu para baixar preço do arroz