Com proposta de Bolsonaro, economia no INSS pode chegar a R$ 700 bi, diz Safra

Em reunião com a equipe econômica, ficou acertado também que haverá um período de doze anos de transição para se chegar aos pisos para recebimento da aposentadoria

Jair Bolsonaro, presidente da RepúblicaJair Bolsonaro, presidente da República - Foto: Alan Santos/PR

A nova idade mínima para aposentadoria chancelada pelo presidente Jair Bolsonaro, de 65 para homens e 62 anos para mulheres, tem potencial para economizar R$ 400 bilhões em doze anos nas contas de Carlos Kawall, economista-chefe do Banco Safra. O cálculo leva em consideração o período de transição estabelecido pela equipe econômica e aprovado pelo presidente, de 12 anos, e supera, segundo Kawall, os R$ 330 bilhões que seriam economizados na versão final da proposta apresentada por Michel Temer.

Com isso, prevê o economista, a proposta de mudança nas regras de aposentadoria de Bolsonaro pode gerar uma economia total entre R$ 600 bilhões e R$ 700 bilhões somente no regime geral de Previdência, o que é considerado por Kawall como algo "muito positivo". A versão de Temer também previa a criação de uma idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres).Mas essas faixas etárias seriam alcançadas em 20 anos.

Leia também:
Bolsonaro define idades mínimas de 62 e 65 anos na Previdência
'Vamos pacificar isso', diz Mourão sobre atrito dos Bolsonaros com Bebianno


Para Kawall, a expectativa agora gira em torno da divulgação da regra de cálculo do benefício e do tempo mínimo de contribuição. O economista espera que ele suba para 20 anos. Bolsonaro decidiu nesta quinta-feira (14) que a nova reforma previdenciária estabelecerá idades mínimas de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens.

Em reunião com a equipe econômica, ficou acertado também que haverá um período de doze anos de transição para se chegar aos pisos para recebimento da aposentadoria.
A expectativa é de que na próxima quarta-feira (20) o presidente assine o texto e, no mesmo dia, ele seja divulgado publicamente e enviado à Câmara dos Deputados. Apesar da decisão anunciada, o texto do projeto ainda pode sofrer alterações até a quarta-feira (20). Ele será submetido até o dia do anúncio à área jurídica do Palácio do Planalto.

Veja também

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego
Economia

Governo estuda desoneração linear para gerar emprego

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil
Montadoras

Fechamento de fábricas da Ford põe em dúvida futuro do setor no Brasil