SUAPE

Começa cadastro de moradores que ocupavam área de Suape

Quem perdeu o documento pode apresentar o CPF para uma averiguação junto ao setor financeiro da empresa quanto à efetivação do pagamento

 

Moradores que ocupavam a área do Complexo Industrial Portuário de Suape, indenizados entre os anos de 2003 e 2012, devem realizar cadastro para recebimento das unidades residenciais do Conjunto Habitacional Governador Eduardo Campos. De acordo com o diretor de Gestão Fundiária e Patrimônio, Sebastião Pereira, o chamado público para cadastramento teve início em 2015 para as famílias indenizadas a partir de 2007, mas foi identificado que moradores indenizados a partir de 2003 também se enquadram como beneficiários. “Essas pessoas não moram mais no território de Suape e não conseguimos contato. São famílias que se mudaram antes de 2013, ano em que ocorreu a assinatura do convênio da Caixa com Suape para a construção do habitacional”, explica.

Para efetuar o cadastro, as famílias devem comparecer à administração do Complexo de Suape com o recibo do pagamento do imóvel. Quem perdeu o documento pode apresentar o CPF para uma averiguação junto ao setor financeiro da empresa quanto à efetivação do pagamento. As famílias que negociaram as benfeitorias em suas antigas propriedades após 2012, já estão cadastradas e não precisam comparecer ao Empresarial Porto de Suape, on­de o atendimento é realizado diariamente, das 7h30 às 16h30.

O Conjunto Habitacional Governador Eduardo Campos contará com 2.620 residências destinadas às famílias das 27 comunidades mapeadas no território. A previsão é que as primeiras 583 casas do habitacional sejam entregues no primeiro semestre deste ano. Até o momento, 1.189 cadastros fo­ram realizados.

 

Veja também

Retomada perde ritmo e atividade econômica cresce 0,59% em novembro, diz BC
Economia

Retomada perde ritmo e atividade econômica cresce 0,59% em novembro, diz BC

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III
Diplomacia Econômica

2021-2029. Quais forças ditarão na próxima década? Parte III