Comissão aprova MP sobre isenção de pedágio para caminhões sem carga

O relator, senador José Agripino Maia (DEM-RN), disse que uma das preocupações era a de não onerar o usuário

Senador José Agripino MaiaSenador José Agripino Maia - Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O relatório da Medida Provisória (MP) 833/2018, que isenta caminhões que circularem com eixo suspenso de pagar pedágio em todo território nacional, foi aprovado nesta terça-feira (19) pela comissão mista que analisa o tema. A MP 833, junto com as MPs 831 e 832, foi assinada pelo presidente Michel Temer no último dia 27, na tentativa de atender a algumas demandas dos caminhoneiros que fizeram uma paralisação de 11 dias em diversas estradas brasileiras.

Leia também
Michel Temer diz que governo vai esperar decisão do STF sobre fretes
AGU defende legalidade da tabela de frete no Supremo
Justiça suspende tabela de frete mínimo para associação do agronegócio


Durante a leitura de seu parecer, o relator, senador José Agripino Maia (DEM-RN), disse que uma das preocupações era a de não onerar o usuário. Segundo ele, das emendas apresentadas, ele acatou parcialmente a proposta apresentada pelo senador Lasier Martins (PSD-RS), que proíbe as concessionárias de aumentar o valor do pedágio para o motorista de veículo de passeio como forma de compensar a isenção. Segundo o parecer, esse aumento só será repassado quando “esgotadas as demais alternativas de reequilíbrio econômico-financeiro”.

De acordo com a MP 833, os órgãos e entidades competentes da União, Estados, Distrito Federal e municípios serão os responsáveis por estabelecer as medidas técnicas e operacionais para viabilizar essa isenção na sua região. A matéria foi transformada em projeto de lei de conversão (PLV 17/2018) e segue agora para análise do plenário da Câmara dos Deputados.

Veja também

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF
Seguro

Pagamento de indenizações do DPVAT passa a ser feito pela CEF

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas
Ford

É cedo para dizer se haverá depreciação de carros da Ford após fechamento de fábricas