Compass entra na briga dos SUVs

O novo modelo é a aposta da Jeep para conquistar espaço entre os Sport Utility Vehicles

Os ParçasOs Parças - Foto: Divulgação

Depois de tanta espera, a Jeep revelou, na semana passada, o projeto 551. O Compass, cujo nome significa bússola em inglês, é a aposta da marca norte-americana para figurar entre os líderes do segmento de Sport Utility Vehicle (SUV) no Brasil, onde o estilo ocupa 12% do mercado. Segundo dirigentes da montadora, um quarto dos veículos vendidos no mundo são SUVs. Para entrar na briga, o modelo conta com uma versão de entrada com motor flex custando R$ 99.990 e uma versão topo de linha movida a diesel que traz bastante tecnologia e custa R$ 149.990. “Agora a família está completa. O Compass vai fazer a ponte entre o Renegade e nossa tradicional linha de importados (Cherokee, Wrangler e Grand Cherokee). E como não poderia deixar de ser, a marca Jeep chega para estabelecer um novo padrão de qualidade na categoria”, comentou Sérgio Ferreira, diretor-geral da Jeep para a América Latina.

O ponto fraco é o consumo registrado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que anotou 10,5 quilômetros por litro de gasolina na estrada e 8,1 na cidade. Com etanol, as taxas são 7,2 km/l e 5,5 km/l, respectivamente. Com diesel, o carro bebe 11,4 km/l e 9,8 km/l. A Jeep contesta e diz que, na prática, o consumo será menor.

Já o pon to forte é a tecnologia embarcada, que resolve diversas situações. Uma delas é o piloto automático adaptativo, que reduz a velocidade sempre que o Compass se aproxima de algum obstáculo. As outras são o farol alto automático, que reduz a luz quando o carro se aproxima de outro ou quando a iluminação pública está boa, e o monitoramento de mudança de faixa, que segura o volante se o motorista começar a pender a direção para um lado ou sair da faixa.

No test drive que a reportagem da Folha de Pernambuco fez entre a Reserva do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, e a praia do Cupe, em Ipojuca, a versão Longitude Flex, que custa R$ 106.990, se mostrou confortável. O acabamento e os bancos de couro preto, aliado ao espaço interno considerado bom, dão tranquilidade para quem viaja. Ainda no lado interno, o motorista conta com uma tela de até sete polegadas e quase 20 informações do computador de bordo e de outros sistemas, como áudio, navegação, telefonia e recursos de segurança. No console central, quem chama a atenção é o sistema multimídia Uconnect com tela de toque, navegador GPS embutido, câmera de ré e conexões Bluetooth e USB.

O Compass vai estrear no Brasil, em produção e vendas, e em 2017 será produzido em outras fábricas, com oferta em mais de 100 países. No País, a Jeep espera vender 2 mil unidades por mês. A produção em Goiana será 20% destinada para a exportação para países vizinhos, principalmente a Argentina. Serão disponibilizadas 500 unidades na edição de lançamento na configuração Longitude Flex, que será adicionada do pacote premium e deverá custar R$ 109.490. A pré-venda começou semana passada e as unidades para test drive deverão chegar às lojas ainda este mês. As primeiras entregas serão em novembro.

Veja também

Senai-PE oferece 400 bolsas de estudo para cursos técnicos a distância
Veja vagas

Senai-PE oferece 400 bolsas de estudo para cursos técnicos

Consumo puxa alta de 2,9% de novos empréstimos em setembro
Economia

Consumo puxa alta de 2,9% de novos empréstimos em setembro