Fatura

Compesa suspende reajuste de 11,9% da tarifa social da conta de água

Para as demais categorias, o aumento segue válido para a partir de 19 de agosto

TorneiraTorneira - Foto: Pexels

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) anunciou, nesta quarta-feira (21), a suspensão do reajuste de 11,9% da tarifa social da conta de água e esgoto.

De acordo com a companhia, a fatura permanecerá nos atuais R$ 9,44, uma medida que beneficia cerca de 600 mil pernambucanos.

Na terça-feira (20), foi publicada pela Agência Reguladora de Pernambuco (Arpe) uma resolução com o reajuste, que elevaria o valor da tarifa social a R$ 10,56 a partir de 19 de agosto.

A Compesa, atendendo a uma recomendação do Governo do Estado em virtude da pandemia de Covid-19, solicitou à Arpe a suspensão do aumento para a tarifa social.

"Vale destacar que os clientes da tarifa social foram contemplados com a isenção do pagamento da conta no período de março a setembro do ano passado e, novamente, de março a maio deste ano", ressaltou a Compesa.

Para as outras categorias, o reajuste será aplicado a partir de 19 de agosto.

Clientes residenciais com consumo de até 10 mil litros, por exemplo, pagarão R$ 50,50 por mês em vez de R$ 45,13 como até então.

O aumento será o segundo deste ano. Em janeiro, a Compesa já havia reajustado a tarifa em 2,4%.

Para autorizar a homologação da nova tabela tarifária da Compesa, a Arpe indica que o aumento será para "compensar os efeitos da inflação do período de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021".

Veja os valores:

Categoria Valor atual (até 18 de agosto) Valor reajustado (a partir de 19 de agosto)
Residencial Tarifa Social R$ 9,44 não haverá reajuste
Residencial R$ 45,13 R$ 50,50
Comercial R$ 66,40 R$ 74,30
Industrial  R$ 83,20 R$ 93,10
Pública R$ 64,17 R$ 71,81

Veja também

Bolsonaro critica dificuldades para indicar quarto presidente da Petrobras
Gestão

Bolsonaro critica dificuldades para indicar quarto presidente da Petrobras

Brasil aposta em fertilizantes naturais para reduzir dependência russa
Setor Agrícola

Brasil aposta em fertilizantes naturais para reduzir dependência russa