Concentração bancária sofre leve queda em 2018, diz BC

Em 2018, os cinco maiores bancos do país eram responsáveis por 83,8% dos depósitos totais

Crescimento econômicoCrescimento econômico - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A concentração bancária no país sofreu uma leve queda no ano passado em comparação ao ano anterior, divulgou nesta terça-feira (28) o Banco Central (BC) em seu Relatório de Economia Bancária. Segundo o relatório, as cinco maiores instituições do país, o Banco do Brasil, o Itaú, o Bradesco, a Caixa Econômica Federal e o Santander, são responsáveis por 84,8% das operações de crédito [ou de empréstimo] do país.

Em 2017, esse dado correspondia a 85,8%. Em 2018, os cinco maiores bancos do país eram responsáveis por 83,8% dos depósitos totais, uma pequena queda em comparação a 2017, quando os depósitos correspondiam a 85%.

Segundo o relatório, essas instituições detiveram 81,2% dos ativos totais do setor bancário comercial em 2018. No ano anterior, os ativos correspondiam a 82,6%.


Leia também:
Banco Central mantém juros básicos no menor nível da história
Intervenção do Banco Central não freia alta do dólar

Perspectivas
O Banco Central do Brasil projeta crescimento de 7,2% no saldo total de crédito para 2019, com aumento de 12,5% do saldo de crédito de recursos livres e de 0,8% do saldo de credito com recursos direcionados, segundo a instituição, durante apresentação do seu Relatório de Economia Bancária em São Paulo.

No ano passado, o aumento no saldo total de crédito foi de 5%, após dois anos seguidos de quedas [-3,5% e -0,5% em 2016 e 2017, respectivamente]. Para as pessoas físicas, o BC projeta crescimento de 9,7% do estoque de crédito e, para pessoas jurídicas, de 4,1%.

Veja também

China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
Economia

China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM
Tributos

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM