Confiança de empresários de serviços e construção tem mínimo histórico

O Índice de Confiança de Serviços recuou 31,7 pontos de março para abril e atingiu 51,1 pontos, em uma escala de zero a 200

Setor de serviçosSetor de serviços - Foto: Elza Fiúza/Arquivo/Agência Brasil

Os índices que medem a confiança dos empresários da construção e do setor de serviços atingiram mínimos históricos no mês de abril, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Os dados foram divulgados hoje (28) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O Índice de Confiança de Serviços recuou 31,7 pontos de março para abril e atingiu 51,1 pontos, em uma escala de zero a 200. Com isso, o indicador atingiu o menor nível da série histórica iniciada em junho de 2008.

Os 13 segmentos de serviços pesquisados tiveram queda. O Índice de Situação Atual, que mede a confiança no presente, caiu pelo quarto mês consecutivo. De março para abril, o recuo chegou a 29,7 pontos, o que levou o indicador a 55,5 pontos, o menor nível histórico.

O Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, teve queda de 33,5 pontos de março para abril e atingiu 47,3, também o menor nível histórico.

Leia também:
Índices de confiança devem atingir mínimos históricos em abril
Confiança do empresário atinge menor nível desde setembro de 2017
Confiança da indústria recua 3,9 pontos em março


Construção
O Índice de Confiança da Construção, por sua vez, recuou 25,8 pontos de março para abril, a maior queda da série histórica. Com isso, o indicador chegou ao menor valor patamar desde o início da série (65 pontos).

O Índice de Expectativas caiu 35,6 pontos, para 59,9, o menor valor da série histórica. Já o Índice de Situação Atual cedeu 15,4 pontos, alcançando 70,9, o menor valor desde junho de 2018 (70,8 pontos).

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
Economia

China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM
Tributos

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM