Confiança do consumidor cai 1,7 ponto em setembro

Com o resultado, o índice retorna ao nível de junho passado, quando a confiança havia sido abalada pela greve dos caminhoneiros

Confiança do consumidor cai 1,7 ponto em setembroConfiança do consumidor cai 1,7 ponto em setembro - Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O Índice de Confiança do Consumidor, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 1,7 ponto de agosto para setembro e chegou a 82,1 pontos, em uma escala de zero a 200. Com o resultado, o índice retorna ao nível de junho passado, quando a confiança havia sido abalada pela greve dos caminhoneiros.

A queda foi provocada pela expectativa. O Índice de Expectativas caiu 3,3 pontos e chegou a 89,7, o menor nível desde fevereiro de 2017 (89 pontos). O indicador que mede o otimismo com relação à evolução da economia diminuiu 3,4 pontos, ao passar de 103,4 em agosto, para 100 pontos, o menor desde maio de 2016 (que também foi de 100 pontos).

Leia também:
Pesquisa da CNI mostra que otimismo do consumidor aumenta
Saiba quais são os direitos do consumidor endividado
Economia brasileira recuou 0,5% no trimestre encerrado em julho
Caixa começa a cobrar juros menores para financiamento imobiliário
Direitos Ilusórios: enganos comuns sobre os direitos do consumidor

Já o Índice de Situação Atual, que mede a satisfação dos consumidores com o momento atual, subiu 0,9 ponto para 72,3 pontos, recuperando parte das perdas do mês anterior. Segundo a coordenadora da pesquisa, Viviane Seda, o resultado parece estar diretamente relacionado à situação financeira das famílias e à lenta recuperação do mercado de trabalho. Ela explica que o cenário político-eleitoral não parece ser o principal fator para a queda do indicador em setembro.

Veja também

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário da vacinação
VACINAÇÃO CONTRA COVID-19

INSS pede para servidores entrarem em grupo prioritário

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora
Economia

Presidente da Eletrobras troca empresa pela BR Distribuidora