Confiança dos empresários do comércio cresce 0,2%, diz CNC

A CNC destaca, no entanto, que a greve dos caminhoneiros, iniciada em 21 de maio, pode causar impacto na percepção dos empresários do comércio em pesquisas futura

Movimentação em shoppingMovimentação em shopping - Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), subiu 0,2% de abril para maio e atingiu 113,8 pontos. Na comparação com maio de 2017, o aumento chega a 10,5%.

A CNC destaca, no entanto, que a greve dos caminhoneiros, iniciada em 21 de maio, pode causar impacto na percepção dos empresários do comércio em pesquisas futuras, devido ao desabastecimento de combustíveis e alimentos, entre outros produtos.

“O varejo vem sofrendo impactos negativos, principalmente por conta do desabastecimento nos segmentos de combustíveis e de supermercados. Juntos, esses setores respondem por quase metade das vendas mensais do comércio brasileiro”, disse nesta quarta-feira (30), no Rio de Janeiro, o economista da CNC, Fabio Bentes.

Leia também:
Índice de confiança da indústria recua em maio pela segunda vez
Índice de Confiança do Consumidor fica estável em março, aponta pesquisa


CONFIANÇA ACUMULA ALTA
Desde o ponto mais agudo da crise no setor, em maio de 2016, a confiança dos comerciantes acumula alta de 43,6%. A percepção dos empresários do comércio em relação à situação atual melhorou apenas 0,1% de abril para maio. As expectativas mantiveram-se estáveis no período. Já as intenções de investimento cresceram 0,6% de abril para mio.

Na comparação com maio de 2017, a percepção sobre as condições atuais cresceu 24,6%, as expectativas subiram 4,1% e as intenções de investimento tiveram alta de 9,8%.

Veja também

Senar-PE e Faculdade CNA oferecem cursos de graduação a distância
Graduação

Senar-PE e Faculdade CNA oferecem cursos de graduação a distância

Venda de livros pela internet cresce 44% em 2020
Economia

Venda de livros pela internet cresce 44% em 2020